Airbus revela os primeiros aviões comerciais do mundo com emissão zero

ANÚNCIO

A Airbus revelou três conceitos utilizando hidrogênio para encontrar a maneira mais eficiente de desenvolver a primeira aeronave comercial com emissão zero do mundo a voar até 2035.

Airbus revela os primeiros aviões comerciais do mundo com emissão zero
Foto: (reprodução/Airbus)

De acordo com o Daily Mail, se os planos forem bem sucedidos, a empresa aeroespacial europeia poderá permitir que os turistas e empresários voem longas distâncias sem produzir emissões de gases de efeito estufa responsáveis pelo aquecimento global.

ANÚNCIO

O chefe executivo da Airbus, Guillaume Faury, disse que o anúncio marca um momento histórico, já que a empresa lidera o setor de aviação comercial na “transição mais importante” para o comércio ecologicamente correto.

Os três projetos ZEROe mostram diferentes abordagens para fazer tecnologias e aerodinâmica para vôos comerciais de baixo carbono, que “oferecem ao mundo um vislumbre” da visão ousada da empresa de voo com emissão zero no futuro.

Faury disse que o uso de hidrogênio em combustíveis sintéticos, bem como a principal fonte de energia das aeronaves comerciais, poderia “reduzir significativamente o impacto climático da aviação”.

ANÚNCIO

Os planos para melhorar a infra-estrutura de gás existente para os movidos a hidrogênio são desencadeados pela promessa de uma economia de baixo carbono, que também abriu caminho para uma forma sustentável de produção de gás.

O conceito ZEROe

Em vez de combustível de avião a jato, todos os três aviões conceito teriam modificado os motores de turbina a gás que dependem do hidrogênio líquido como combustível e criam energia elétrica através de células de combustível de hidrogênio. Quando queimado, o hidrogênio produziria apenas vapor de água, o que o torna uma alternativa de combustível limpo não apenas para aviões, mas também em caminhões e trens.

O primeiro conceito Airbus poderia transportar 120 a 200 passageiros por mais de 2.000 milhas náuticas usando um motor de turbina a gás modificado que funciona com hidrogênio armazenado em tanques atrás da parte traseira da antepara de pressão do avião.

Leia também: Google anunciou uma das maiores iniciativas verdes da tecnologia até agora

Da mesma forma, a empresa também planeja criar um avião com uma carroceria “excepcionalmente larga” que se mistura nas asas do avião, o que proporcionará várias opções para o layout da cabine e armazenamento de hidrogênio. Isto teria um número semelhante de passageiros e pode percorrer a mesma quilometragem que o desenho do turbofan.

Airbus revela os primeiros aviões comerciais do mundo com emissão zero
Foto: (reprodução/Airbus)

O terceiro projeto é para viagens de curta distância de até 1.000 milhas náuticas e transporta até 100 passageiros. Ele usa um turboélice que também usaria um motor a gás modificado.

As opções de projeto ajudariam a empresa aeroespacial a desenvolver um plano mais abrangente para “a primeira aeronave comercial do mundo, neutra para o clima e com emissão zero” a tempo para seu lançamento programado em 2035.  

Atualmente, a empresa está levantando enormes investimentos para tornar os aviões a hidrogênio uma realidade.

Iniciativas eco-friendly

A diretora de tecnologia da Airbus, Grazia Vittadini, disse que seu plano de desenvolvimento “muito ambicioso” produziria seus primeiros resultados em meados de 2021, enquanto eles teriam o conceito final em 2025. 

Vittadini acrescentou que eles também consideram a produção de aeronaves elétricas, embora em uma escala menor.

A Airbus disse que seu objetivo é criar um “sistema de propulsão híbrido-elétrico altamente eficiente”.  No entanto, Faury observou que esta transição para o hidrogênio exigirá uma ação decisiva de toda aviação com o apoio do governo e de parceiros industriais. 

Leia mais: Facebook reforça compromissos climáticos para reduzir gases de efeito estufa

“Podemos estar à altura deste desafio de aumentar a escala de energia renovável e hidrogênio para o futuro sustentável da indústria da aviação”, acrescentou ele.

Em 2019, a Airbus também lançou uma pesquisa conjunta com a EasyJet para considerar aeronaves híbridas e elétricas para reduzir o impacto da aviação sobre o meio ambiente.

O chefe executivo da Easyjet, Johan Lundgren, disse que eles continuam “absolutamente comprometidos com um voo mais sustentável” e colaborando em novas tecnologias para conduzir a indústria a um caminho mais sustentável e ecologicamente correto.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fontes: Tech Times, Daily Mail, The Guardian

ANÚNCIO