O “carro voador” do Japão levanta voo, com uma pessoa a bordo

ANÚNCIO

 O sonho de décadas atrás de um passeio no céu tão simples quanto dirigir em rodovias, pode estar se tornando realidade.

A SkyDrive Inc. do Japão, entre a infinidade de projetos de “carros voadores” ao redor do mundo, realizou um voo-teste bem sucedido, embora modesto, com uma pessoa a bordo.

ANÚNCIO
O "carro voador" do Japão levanta voo, com uma pessoa a bordo 3
Foto: SkyDrive/CARTIVATOR 2020

Em um vídeo exibido aos repórteres na sexta-feira, uma engenhoca que parecia uma motocicleta com hélices levantou metros (1-2 metros) do chão, e voou em uma área coberta com redes durante quatro minutos.

Tomohiro Fukuzawa, que dirige o esforço SkyDrive, disse que espera que “o carro voador” possa ser transformado em um produto da vida real até 2023, mas ele reconheceu que torná-lo seguro era crítico.

“Dos mais de 100 projetos de carros voadores do mundo, apenas um punhado teve sucesso com uma pessoa a bordo”, disse ele à The Associated Press.

ANÚNCIO

“Espero que muitas pessoas queiram conduzi-lo e se sintam seguras”.

A máquina até agora pode voar por apenas cinco a 10 minutos, mas se isso pode se tornar 30 minutos, ela terá mais potencial, incluindo exportações para lugares como a China, disse Fukuzawa.

Ao contrário dos aviões e helicópteros, eVTOL, ou “decolagem e aterrissagem vertical elétrica”, os veículos oferecem viagens pessoais rápidas ponto a ponto, pelo menos em princípio.

Eles poderiam eliminar o incômodo dos aeroportos, engarrafamentos e o custo da contratação de pilotos, eles poderiam voar automaticamente.

O tamanho das baterias, o controle de tráfego aéreo e outros problemas de infra-estrutura estão entre os muitos desafios potenciais para comercializar o “carro voador”.

Uma inovação ainda em construção

“Muitas coisas têm que acontecer”, disse Sanjiv Singh, professor do Instituto de Robótica da Universidade Carnegie Mellon, co-fundador da Near Earth Autonomy, perto de Pittsburgh, nos Estados Unidos que também está trabalhando em uma aeronave eVTOL.

“Se eles custarem US$ 10 milhões, ninguém vai comprá-los”. Se eles voarem por 5 minutos, ninguém vai comprá-los. Se eles caírem do céu de vez em quando, ninguém vai comprá-los”, disse Singh em uma entrevista por telefone.

O projeto SkyDrive começou humildemente como um projeto voluntário chamado Cartivator em 2012, com financiamento das principais empresas japonesas, incluindo a fabricante de automóveis Toyota Motor Corp., a empresa de eletrônicos Panasonic Corp. e a desenvolvedora de videogames Bandai Namco.

Leia também: Simulador de voo Microsoft: O que você precisa para jogar

Um voo de demonstração, há três anos, correu mal. Mas melhorou e o projeto recebeu recentemente outra rodada de financiamento, de 3,9 bilhões de ienes (US$ 37 milhões), inclusive do Banco de Desenvolvimento do Japão.

O governo japonês está em alta na visão dos “Jetsons”, com um “roteiro” para serviços comerciais até 2023, e expandiu o uso comercial até 2030, enfatizando seu potencial para conectar áreas remotas e fornecer linhas de vida em desastres.

Especialistas comparam o alvoroço sobre os carros voadores, com os dias em que a indústria da aviação começou com os irmãos Wright e a indústria automobilística com o modelo T da Ford.

Lilium da Alemanha, Joby Aviation na Califórnia e Wisk, uma sociedade conjunta entre Boeing Co. e Kitty Hawk Corp., também estão trabalhando em projetos eVTOL.

Sebastian Thrun, chefe executivo da Kitty Hawk, disse que levou tempo para que aviões, celulares e carros automotores ganhassem espaço.

“Mas o tempo entre a tecnologia e a aceitação social pode ser mais apertado para os veículos eVTOL”, disse ele.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fontes: AP News, SkyDrive

ANÚNCIO