Músicos apelam, Spotify discute em luta por direitos na plataforma

ANÚNCIO

A iniciativa chamada Justice at Spotify (Justiça no Spotify) exige melhor compensação e maior transparência para os músicos.

Músicos apelam, Spotify discute em luta por direitos na plataforma
Foto: (reprodução/internet)

Os músicos têm negado à compensação dos artistas do Spotify desde que a plataforma existe. Ganhar a vida como músico já é difícil para a grande maioria daqueles que são corajosos o suficiente para tentar tais coisas, mas enfrentar uma pandemia aparentemente interminável tornou quase impossível para muitos.

ANÚNCIO

Esta semana, o Sindicato dos Trabalhadores Musicais (UMAW) lançou uma campanha com o objetivo de destacar algumas das questões em torno do modelo do gigante do streaming. Há exigências, também.

O pedido dos artistas

A Justice at Spotify tem seu próprio site, com uma petição, pedindo aos artistas que assinem.

“Com todo a música ao vivo em perigo devido à pandemia do coronavírus, os trabalhadores da música dependem mais do que nunca da renda do streaming“, diz o site.

ANÚNCIO

“Estamos pedindo ao Spotify para aumentar os pagamentos de royalties, a transparência em suas práticas e para parar de lutar contra os artistas”.

A resposta cruel da indústria musical

O representante da organização, Damon Krukowski, disse ao site TechCrunch que a reação até agora tem sido esmagadoramente positiva entre os artistas. E, como previsto, menos entre alguns do setor.

“A resposta dos músicos à nossa campanha de Justiça no Spotify tem sido rápida e positiva – estamos prestes a atingir 10.000 assinaturas de artistas em apenas as primeiras 48 horas”, escreve Krukowski.

Leia mais: Spotify ‘Soundtrap Capture’ permite colaboração de músicos durante distanciamento social

“Ao mesmo tempo, a resposta da indústria tem sido tão fria quanto esperávamos: ‘vocês são apenas músicos e não entendem de negócios’, é a essência básica do assunto.

“Ao que eu diria: o problema para o qual estamos chamando a atenção é precisamente o fato de que os músicos foram deixados de fora da conversa! Somos sempre os últimos em pagamento, e em consulta – mesmo que nosso trabalho seja a base do negócio de streaming”.

A crescente lista de signatários inclui uma série de nomes proeminentes – incluindo, sem surpresa, muitos na música indie que foram desproporcionalmente prejudicados pela mudança.

Spotify X Artistas

O CEO da Spotify, Daniel Ek, causou uma polêmica em julho com comentários aparentemente insensíveis sobre a pandemia.

“Alguns artistas que costumavam se sair bem no passado podem não se sair bem nesta paisagem futura”, disse ele à Music Ally, “onde não se pode gravar música uma vez a cada três ou quatro anos e pensar que isso vai ser suficiente”.

Enquanto isso, o serviço tem investido milhões em conteúdo e aquisições iniciais para ganhar uma posição de destaque na indústria do podcast.

Leia também: Spotify lança nova funcionalidade que combina comentários com música

Isso inclui uma aquisição de US$ 100 milhões da Joe Rogan Experience, que continua a causar controvérsia entre o público e, segundo consta, o próprio pessoal da Spotify.

Krukowski diz que os próximos passos para a organização dependerão em grande parte da resposta do Spotify e da vontade de seus membros.

“Temos ideias para os próximos passos nesta campanha, mas isso dependerá de como ela será recebida tanto por nossos colegas músicos, quanto por Spotify”, diz ele.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fontes: Tech Crunch, Music Ally

ANÚNCIO