Parlamento britânico encontra ligações com escravidão em 232 itens em sua coleção de arte

ANÚNCIO

Inspiradas pela campanha “Black Lives Matter”, as autoridades da Commons já encontraram 232 itens com links para o comércio de escravos – e agora irão examinar mais.

Parlamento britânico encontra ligações com escravidão em 232 itens em sua coleção de arte
Foto: (reprodução/internet)

O Parlamento iniciou uma revisão em sua extensa coleção de arte em uma tentativa de expor os laços com o passado colonial britânico.

ANÚNCIO

Impelido pelos protestos da Black Lives Matter, o objetivo do levantamento será examinar o papel do Parlamento tanto no comércio de escravos quanto em sua abolição.

De acordo com as autoridades comuns, uma revisão inicial da coleção de arte parlamentar encontrou 232 itens com vínculos com o comércio  de escravos.

Leia também: CEO do Google, anuncia financiamento para empresas de negros

ANÚNCIO

Dessas peças, 189 retratam 24 pessoas que tinham vínculos com o tráfico de escravos e 40 peças retratam 14 pessoas que eram abolicionistas.

Mas a revisão – que examinará as mais de 9.500 obras de arte da coleção dos Comuns e dos Senhores – ainda está em andamento.

Juntamente com a revisão das obras da coleção, ela também tentará desenvolver “uma política para aumentar a representação de artistas negros, asiáticos e de outras minorias étnicas” na coleção de arte do Parlamento.

Um trabalho que representa mudança

Obras de arte controversas poderiam ser exibidas com uma nota explicando seu contexto histórico.

Hywel Williams, o deputado do Partido Cymru, ou Partido do País de Gales, que preside o comitê de assessoria de obras de arte, disse: “A interpretação de nossas obras de arte é revista constantemente, mas esta é a primeira vez que estamos revisando sistematicamente toda a coleção analisando questões em torno da escravidão e da representação.

“Buscaremos maneiras de melhor explicar e contextualizar as obras da coleção através de nosso website e do material que damos aos visitantes do parlamento”.

“E buscaremos maneiras de melhor esclarecer as pessoas no parlamento que trabalharam arduamente para abolir a escravidão”.

Traduzido e adaptado pela equipe Revolução.etc.br

Fonte: Mirror.co

ANÚNCIO