Opositor do governo russo está sob proteção policial

ANÚNCIO

O advogado russo e principal opositor político Alexei Navalny permanece em estado crítico, mas estável, em um hospital em Berlin onde está sendo tratado com segurança.

Opositor do governo russo está sob proteção policial 1
Foto: (reprodução/internet)

Após uma suspeita de envenenamento, semana passada, Navalny agora está sob cuidados especiais de proteção para garantir sua segurança, disseram autoridades alemãs na segunda-feira.

ANÚNCIO

A polícia de Berlim e agentes federais foram colocados no hospital Charité no centro da cidade, onde Navalny de 44 anos está sendo tratado após sua chegada à Alemanha no sábado, depois que a chanceler Angela Merkel ofereceu pessoalmente a assistência do país.

“Era óbvio que, após sua chegada, era preciso tomar precauções de proteção”, disse seu porta-voz, Steffen Seibert, aos repórteres. “Afinal, este é um paciente que, com um certo grau de probabilidade, foi envenenado”.

Ele não quis comentar sobre a condição da Navalny, mas no início do dia, Dirk Wiese, coordenador do governo alemão para assuntos da Europa Oriental, disse à rádio pública ZDF que ele era “atualmente crítico, mas estável”.

ANÚNCIO

“Ele agora está recebendo o melhor tratamento possível”, disse Wiese.

Os apoiadores da Navalny acreditam que o chá que ele bebeu foi misturado com veneno, e que o Kremlin – como é nomeado a sede do governo russo em Moscou – está por trás tanto de sua doença como de um atraso na sua transferência para a Alemanha.

Os médicos russos disseram, no entanto, que os testes não mostraram vestígios de veneno em seu sistema. O Kremlin ainda não comentou sobre a alegação.

A interminável suspeita

A equipe da Navalny na semana passada apresentou um pedido na Rússia para lançar uma investigação criminal, mas até segunda-feira, o Comitê de Investigação da Rússia ainda não abriu um caso, disse a porta-voz da Navalny, Kira Yarmysh.

Ilya Yashin, um político da oposição em Moscou e aliado próximo da Navalny, em uma declaração em vídeo na segunda-feira exortou as autoridades policiais russas a investigar “uma tentativa de vida de uma figura pública” e a investigar o possível envolvimento do presidente russo Vladimir Putin.

“É Putin quem se beneficia destas intermináveis agressões”, disse Yashin.

Navalny foi levado da Sibéria para a Alemanha no sábado, depois de muita agitação para saber se ele estava estável o suficiente para ser transportado.

Após sua chegada, a porta-voz do hospital, Manuela Zingl, disse que ele seria submetido a extensos testes diagnósticos e que os médicos não comentariam sobre sua doença ou tratamento até que pudessem avaliar os resultados.

No domingo, a esposa de Navalny, Yulia Navalnaya, e o assessor Leonid Volkov visitaram o líder da oposição russa no hospital, mas não falaram com os repórteres.

Entre escândalos e acontecimentos

Navalny, um político opositor e investigador de corrupção que é um dos mais ferozes críticos do presidente russo Vladimir Putin.

Ele adoeceu em um voo de volta da Sibéria para Moscou na quinta-feira e foi levado para o hospital na cidade de Omsk depois que o avião fez uma aterrissagem de emergência.

Os médicos russos disseram na segunda-feira que dois laboratórios não encontraram substâncias venenosas em seu sistema.

“Se tivéssemos encontrado envenenamento confirmado por algo, teria sido muito mais fácil para nós”, disse Anatoly Kalinichecnko, médico chefe adjunto do Hospital de Ambulância Omsk Nº 1, onde  Navalny foi tratado.

“Mas recebemos uma conclusão de dois laboratórios de que não foram encontrados produtos químicos tóxicos que possam ser considerados venenos ou sub-produtos de venenos”.

O médico chefe do hospital, Alexander Murakhovsky, rejeitou as alegações feitas pela equipe da Navalny de que os médicos em Omsk haviam agido em conjunto com os serviços de segurança da Rússia.

“Estávamos tratando o paciente e o salvamos”, disse Murakhovsky na segunda-feira.

“Não havia e não podia haver nenhuma influência sobre o tratamento do paciente”.

Ele não foi capaz de identificar homens à paisana, avistados no hospital na semana passada que os aliados do político disseram ser agentes da lei e do serviço de segurança.

“Não posso dizer quem eles eram”, disse Murakhovsky.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse na semana passada que não sabia nada sobre a presença de agentes dos serviços de segurança no hospital.

“Nós, no governo, dificilmente podemos estar interessados em saber quem está presente no escritório de um médico chefe em um hospital em Omsk”, disse Peskov na sexta-feira.

Uma relação de turbulência

Como muitos outros políticos da oposição na Rússia, Navalny tem sido frequentemente detida pelas forças da lei e perseguido por grupos pró-Kremlin.

Em 2017, ele foi atacado por vários homens que jogaram anti-séptico em seu rosto, danificando um olho.

No ano passado, Navalny foi levado à pressa a um hospital da prisão, onde estava cumprindo uma sentença sob a acusação de violar os regulamentos de protesto.

Sua equipe também suspeitou de envenenamento na época. Os médicos disseram que ele teve uma grave reação alérgica e o mandaram de volta para a prisão no dia seguinte.

 

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fonte: AP News

ANÚNCIO