Grécia: Campo de refugiados lotado em quarentena após o caso COVID-19

ANÚNCIO

 As autoridades gregas impuseram uma quarentena de 14 dias em um acampamento de migrantes superlotado na ilha de Lesbos na quarta-feira, depois que um homem que vivia fora do acampamento oficial deu positivo para o coronavírus.

Grécia: Campo de refugiados lotado em quarentena após o caso COVID-19
Foto: (reprodução/internet)

O homem somali de 40 anos é o primeiro caso confirmado de coronavírus no acampamento de Moria, que a partir de 31 de agosto abrigou 12.714 pessoas, bem acima de sua capacidade de 2.757.

ANÚNCIO

O Ministério de Migração da Grécia disse que o homem infectado recebeu o status de refugiado e uma autorização de residência para viver na Grécia e deixou o campo em 17 de julho. No entanto, ele voltou nos últimos dias e tinha vivido em uma barraca fora da cerca do campo. Atualmente ele está internado isolado em Lesbos.

O Ministério de Migração disse que nenhuma entrada ou saída do campo seria permitida até 15 de setembro e que a presença da polícia seria aumentada ao redor do campo para garantir que o bloqueio não fosse violado.

Somente o pessoal essencial será autorizado a entrar no acampamento após passar por verificações de temperatura.

ANÚNCIO

As autoridades sanitárias disseram que os contatos do homem somali estavam sendo rastreados e todos estariam em quarentena, enquanto testes extensivos de COVID-19estavam sendo realizados nos residentes do acampamento.

Mais de 27.000 migrantes e requerentes de asilo vivem em acampamentos nas ilhas gregas, depois de chegarem da costa turca próxima. Moria, de longe o maior dos acampamentos, anteriormente estava livre de casos confirmados de COVID-19.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fontes: AP News, Aljazeera

ANÚNCIO