EUA intensifica pressão sobre a Europa para que o Huawei seja banida

ANÚNCIO

A empresa de telecomunicações Huawei Technologies faz parte do estado de vigilância da China, cúmplice de abusos dos direitos humanos, disse um alto funcionário americano na terça-feira, enquanto Washington renovava a pressão sobre a Europa para banir a empresa das redes de quinta geração (5G).

EUA intensifica pressão sobre a Europa para que o Huawei seja banida
Foto: (reprodução/internet)

Keith Krach, o subsecretário de Estado para assuntos econômicos, reforçou os avisos enquanto a Alemanha e a Itália consideram suas redes móveis de próxima geração, em sua primeira viagem pelas capitais europeias desde a pandemia da COVID-19, que impediu as viagens em março.

ANÚNCIO

Krach disse que a Nokia da Finlândia e a Ericsson da Suécia eram as únicas empresas que os governos europeus deveriam escolher.

Huawei é “um braço do estado de vigilância do Partido Comunista Chinês e uma ferramenta para o abuso dos direitos humanos”, disse Krach a um evento do German Marshall Fund, referindo-se ao Partido Comunista Chinês.

Huawei tem repetidamente rejeitado acusações dos EUA de que seu equipamento para redes 5G poderia ser usado para espionagem.

ANÚNCIO

Leia também: China apresenta iniciativa para questões de segurança global de dados

Krach, que disse ter mantido conversas com executivos e oficiais alemães, ligou Huawei à repressão de segurança de Pequim em Hong Kong e à repressão dos muçulmanos Uighur da China, embora ele não tenha fornecido nenhuma prova durante seu discurso online.

Ele disse que o envolvimento de Huawei nas redes móveis 5G europeias colocaria em risco a aliança da OTAN, dizendo que para a China a nova tecnologia era “a espinha dorsal de seu estado de vigilância”.

Traduzido e adaptado pela equipe Revolução.etc.br

Fontes: Reuters

ANÚNCIO