Mercado Pago cresce durante pandemia e analisa mercados internacionais

ANÚNCIO

A principal empresa de comércio eletrônico da América Latina está revigorando seu mecanismo de pagamentos digitais à medida que as lojas mudam online em meio à pandemia do coronavírus, e está buscando na China, inspiração para introduzir online os consumidores da região que não possuem bancos e que gostam de poupar dinheiro.

Mercado Pago cresce durante pandemia e analisa mercados internacionais
Foto: (reprodução/internet)

As transações na plataforma do Mercado Pago, o braço financeiro do Mercado Libre (ou Mercado Livre no Brasil), mais que duplicaram no segundo trimestre, e seu CEO vê a empresa Alibaba da China e sua enorme afiliada de pagamentos, Ant Group.

ANÚNCIO

Investimentos no mercado internacional

“Muitas das coisas que fizemos foram inspiradas pela forma como eles trabalharam na China”, disse Osvaldo Gimenez, chefe executivo do Mercado Pago, à Reuters, acrescentando que a unidade também tinha laços estreitos com a Tencent Holdings, a Paytm da Índia e a empresa americana PayPal Holdings, que investiu US$ 750 milhões no Mercado Libre no ano passado.

“Quando vimos o que a Ant Financial tinha feito com seu fundo de investimento, replicamos isso com nossos fundos de investimento na Argentina, Brasil e México”, acrescentou ele, referindo-se a um fundo de mercado monetário semelhante ao da Ant.

O crescimento do comércio eletrônico 

A movimentação de pagamentos do Mercado Livre oferece uma perspectiva tentadora de um ecossistema de comércio eletrônico de carteira digital que poderia vir a dominar na América Latina da mesma forma que Alibaba e Ant são onipresentes na economia número 2 do mundo.

ANÚNCIO

Só este ano, a capitalização de mercado da empresa dobrou para US$ 61,6 bilhões, embora isso ainda esteja muito longe da valorização alvo da Ant de US$ 250 bilhões. 

O fundo do Mercado Pago, que atrai consumidores a investir pequenas somas para retornos mais altos do que em bancos, tem mais de 11 milhões de usuários, novamente muito menores do que o Yu’e Bao.

Potencial para enorme crescimento

Metade da população na América Latina não tem contas bancárias e as empresas de pagamento digital estão crescendo, incluindo empresas como Ualá e Nubank. Prevê-se que o mercado de pagamentos móveis da região atinja US$ 302,7 bilhões até 2025, de acordo com um relatório da PayNXT360, acima dos US$ 50 bilhões em 2016.

Leia também: Nuvemshop, a startup latino-americana concorrente da Amazon

Gimenez disse que os downloads do aplicativo Mercado Pago subiram para quase igualar os do Mercado Livre em alguns mercados, o que, segundo ele, foi uma grande mudança de dois ou três anos atrás quando havia mais de 20 downloads do aplicativo de comércio eletrônico para cada download do Mercado Pago.

As compras no Mercado Livre agora representam apenas 35% do total das transações do Mercado Pago, já que mais pessoas utilizam a plataforma, que oferece pagamentos com código QR, cartões de débito, uma carteira digital e transferências, e outras operações.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fontes: Reuters, PayNXT360

ANÚNCIO