Facebook alega que páginas da China tentam interromper eleições nos EUA

ANÚNCIO

O Facebook encontrou páginas e contas falsas da China e alega que eles estão tentando interromper as eleições dos Estados Unidos para 2020 e as atividades políticas de outros países. A plataforma de mídia social disse que já havia removido a pequena rede de contas e páginas falsas.

Facebook alega que páginas da China tentam interromper eleições nos EUA
Foto: (reprodução/internet)

O Facebook explicou que as contas falsas originárias da China não se concentravam apenas nos Estados Unidos. 

ANÚNCIO

Na verdade, os Estados Unidos eram apenas uma pequena parte da atividade geral. A empresa acrescentou que estas páginas falsas têm como alvo principal o sudeste asiático, incluindo as Filipinas.

As contas postaram material nos Estados Unidos, tanto contra quanto apoiando candidatos presidenciais como Joe Biden, Pete Buttigieg, e o atual presidente Donald Trump. Embora as páginas falsas tenham vindo da China, o Facebook não as vinculou diretamente ao governo chinês.

A plataforma de mídia social disse que as pessoas da rede ilegal tentaram esconder sua identidade e localização usando sistemas privados virtuais e outros métodos. 

ANÚNCIO

Na terça-feira, 22 de setembro, o Federal Bureau of Investigation (FBI) e o Departamento de Segurança Nacional advertiram que os criminosos cibernéticos e os atores estrangeiros provavelmente espalhariam informações errôneas sobre os resultados das eleições.

A resposta dos Estados Unidos

As agências de segurança disseram que os criminosos cibernéticos muito provavelmente desacreditariam o processo eleitoral através de sites falsos e conteúdo de mídia social.

As autoridades dos Estados Unidos advertiram sobre os “outros países” que poderiam perturbar as eleições americanas de 2020.

Em agosto, os funcionários da inteligência americana advertiram que os esforços de outros países, como China, Irã e Rússia, poderiam ser feitos para interferir nas eleições de 2020. 

Leia mais: Facebook diz restringir o conteúdo para acabar com violência nas Eleições nos EUA

William Evanina, o chefe da contra-espionagem do país, disse que os funcionários descobriram que Pequim considera Trump como imprevisível, e quer que o presidente dos Estados Unidos perca contra Biden.

A avaliação pública de agosto explicou que a China vinha expandindo suas operações de influência antes das eleições de 2020. Também foi declarado que o país quer moldar o ambiente político nos EUA e tem pesado os contras e os prós de tomar medidas mais agressivas.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fontes: Tech Times, Independent.uk

ANÚNCIO