Vídeo da Força Aérea chinesa simula ataque à base dos EUA

ANÚNCIO

A força aérea chinesa lançou um vídeo mostrando bombardeiros H-6 com capacidade nuclear, realizando um ataque simulado ao que parece ser a Base Aérea Andersen na ilha de Guam, no Pacífico dos EUA, à medida que as tensões entre os dois países aumentam.

Vídeo da Força Aérea chinesa simula ataque à base dos EUA
Foto: (reprodução/internet)

O vídeo, divulgado no sábado (19) na conta do Weibo do Exército da Força Aérea Popular de Libertação, veio enquanto a China realizava um segundo dia de treinamento perto de Taiwan, reclamado pela China, para expressar a raiva pela visita de um alto funcionário do Departamento de Estado dos EUA a Taipei.

ANÚNCIO

Guam é o lar das principais instalações militares americanas, incluindo a base aérea, que seria fundamental para responder a qualquer conflito na região da Ásia-Pacífico.

Um simples vídeo ou uma ameaça?

O vídeo de dois minutos e 15 segundos da força aérea chinesa, com música solene e dramática como um trailer de um filme de Hollywood, mostra bombardeiros H-6 decolando de uma base deserta. O vídeo é chamado “O deus da guerra H-6K vai ao ataque”!

Na metade do caminho, um piloto aperta um botão e lança um míssil em uma pista marítima não identificada.

ANÚNCIO

A música então, para de repente quando aparecem imagens do chão tremendo, seguidas por vistas aéreas de uma explosão.

“Somos os defensores da segurança aérea da pátria; temos a confiança e a capacidade de sempre defender a segurança dos céus da pátria”, escreveu a força aérea em uma breve descrição para o vídeo.

Nem o Ministério da Defesa da China nem o Comando Indo-Pacífico dos EUA responderam imediatamente aos pedidos de comentários sobre o vídeo.

Confronto iminente? 

Collin Koh, um pesquisador do Instituto de Defesa e Estudos Estratégicos de Cingapura, disse que o vídeo visava destacar a proeza crescente da China na projeção do alcance do poder.

“O vídeo tem o objetivo de advertir os americanos de que mesmo posições supostamente seguras, como Guam, podem estar sob ameaça quando conflitos sobre pontos de tensão regionais, seja em Taiwan ou no Mar do Sul da China, entram em erupção”, disse ele.

Leia também: Ciberataque da Microsoft: Rússia Irã e China contra Estados Unidos

O H-6 tem estado envolvido em múltiplos vôos chineses ao redor e perto de Taiwan, de acordo com a força aérea de Taiwan, incluindo os da semana passada.

O H-6K é o mais recente modelo de avião bélico, que é baseado no Tu-16 soviético dos anos 50.

Na segunda-feira, o Comando do Leste da China, que estaria encarregado de um ataque a Taiwan, lançou um vídeo de propaganda chamado “e se a guerra eclodisse hoje?”, mostrando soldados correndo em colinas arborizadas e lançando mísseis balísticos.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fonte: Reuters

 

ANÚNCIO