Twitter impede usuários de “curtir” tweets enganosos para impedir fake news

ANÚNCIO

O Twitter está trabalhando para expandir o uso de suas etiquetas de “desinformação” em tweets enganosos. A empresa desenvolveu um novo recurso, ainda não disponível ao vivo, que apareceria com uma etiqueta de “informação enganosa” quando um usuário tentasse “gostar” de um tweet que fosse rotulado como informação enganosa.

Twitter impede usuários de "curtir" tweets enganosos para impedir fake news 3
Foto: (reprodução/internet)

O recurso foi descoberto pela engenheira Jane Manchun Wong, no código do aplicativo do Twitter. Ela confirma que a adição não impede que um usuário continue a “curtir” uma publicação no Twitter, apenas o retarda.

ANÚNCIO

Um aviso semelhante aparece hoje quando os usuários tentam retweetar postagens rotuladas como informações enganosas.

Este novo recurso estaria de acordo com outras medidas que o Twitter tem tomado para retardar a disseminação de informações enganosas em sua plataforma, incluindo uma mudança recente em como funcionam os tweets.

Twitter x Fake news

O adicional tem o objetivo de ajudar os usuários a parar e pensar no que estão ampliando, assim como a mudança que levou os usuários a clicar e realmente ler o conteúdo que eles estão compartilhando.

ANÚNCIO

Leia também: O Twitter contra fake news: A plataforma já sofre mudanças

Além disso, o Twitter também lançou uma série de novas políticas antes do dia das eleições nos Estados Unidos, para orientar ainda mais como a plataforma lida com tweets enganosos.

Além de apenas rotular informações equivocadas, a plataforma aplicou advertências e restrições mais agressivas sobre tweets de figuras políticas dos EUA, incluindo candidatos e contas de campanha, bem como outras contas baseadas nos EUA que atingiram certos limites em termos de seguidores, ou compromissos de tweet.

Eleições 2020 nos EUA, a ameaça das mídias sociais

As advertências foram colocadas sobre tweets que alegavam vitória, e foram concebidas em grande parte em resposta aos discursos de Trump que ele não iria conceder facilmente, que foram relatadas pela AP News.

Embora a eleição possa ter destacado o problema da desinformação, continua sendo um problema significativo para as plataformas sociais de hoje. Há agora uma série de usuários que não querem lidar com fatos, recorrendo até mesmo as organizações de verificação de fatos contra eles.

Não está claro que qualquer ajuste na interface do usuário, neste momento, possa ajudar a resolver este problema.

As novas políticas do Twitter

O Twitter diz que ele tenta acabar com a desinformação hoje, não permitindo que aqueles tweets rotulados e enganosos apareçam nas linhas de tempo dos usuários (se eles não seguirem a conta). Mas esses tweets ainda podem ser respondidos, apreciados e retweetados.

O Twitter confirmou que o recurso avistado por Wong está em desenvolvimento, mas não teve um prazo para seu lançamento.

Leia mais: Twitter deixará de remover ‘conteúdo hackeado’ por usuários

“Nosso objetivo é dar às pessoas o contexto e as ferramentas necessárias para encontrar informações confiáveis em nossa plataforma – não importa o tópico ou onde eles estejam vendo o tweet”, disse um porta-voz do Twitter.

“Este é um processo iterativo, e continuamos a explorar recursos e políticas para ajudar as pessoas no Twitter a tomar suas próprias decisões informadas”.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fontes: Tech Crunch, AP News

ANÚNCIO