Sony quer comprar Crunchyroll, enquanto plataforma de streaming passa por dificuldades

ANÚNCIO

O gigante da tecnologia japonesa estaria aumentando seriamente o seu conteúdo de anime.

Sony quer comprar o Crunchyroll, enquanto streaming passa por dificuldades
Foto: (reprodução/internet)

A Sony está prestes a finalizar um acordo para comprar o serviço de transmissão de anime, o Crunchyroll, com sede nos EUA, por quase US$ 1 bilhão, de acordo com um relatório da Nikkei Asia.

ANÚNCIO

O site Nikkei diz que a Sony negociou direitos exclusivos de licitação para o serviço de streaming e seus 3 milhões de assinantes pagantes no início deste ano, e as duas empresas “entraram agora em negociações finais”.

Apesar de um preço não estar claro, Nikkei observa que a Sony poderia acabar gastando “mais de 100 bilhões de ienes” com a empresa – cerca de 977 milhões de dólares.

Crunchyrool, o serviço de streaming diferente

Crunchyroll é propriedade da gigante norte-americana de telecomunicações AT&T, que tem procurado desativar o serviço de streaming por um tempo. A AT&T está interessada em minimizar sua significativa dívida, que totaliza mais de 150 bilhões de dólares.

ANÚNCIO

De acordo com um relatório do site The Information, a AT&T estava pedindo à Sony em agosto para pagar US$ 1,5 bilhão pelo Crunchyroll, mas a empresa japonesa achou esse preço muito alto.

A oferta da Sony

Do ponto de vista da Sony, a aquisição da Crunchyroll a ajudaria a ampliar sua oferta de entretenimento em um mercado dominado por streamers como Netflix e Hulu.

Leia mais: Os filmes Disney estão agora disponíveis em 4K na loja iTunes da Apple

Os animes se tornaram uma importante frente na batalha entre os serviços de streaming, com empresas lutando para licenciar séries e filmes populares (o resultado final é um acesso fragmentado para os consumidores).

A Sony já possui o distribuidor americano Funimation, que licencia uma série de programas populares como Attack on Titan, Fullmetal Alchemist, e One Piece. Adquirir o Crunchyroll ajudaria a construir ainda mais seu catálogo, expandindo sua oferta no Japão e também no exterior.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fonte: The Verge, Nikkei Asia, The Information

ANÚNCIO