Peregrinos judeus são expulsos da fronteira da Ucrânia

ANÚNCIO

Milhares de judeus hassídicos, presos na fronteira da Ucrânia durante dias, devido às restrições do coronavírus, voltaram sem chegar ao seu destino, a sepultura de um venerado rabino, disseram as autoridades na sexta-feira.

Peregrinos judeus são expulsos da fronteira da Ucrânia
Foto: (reprodução/internet)

Cerca de 2.000 peregrinos judeus ultra-ortodoxos haviam viajado por Belarus na esperança de chegar à cidade ucraniana de Uman para visitar o túmulo de Nachman de Breslov, um importante rabino hassídico que morreu em 1810.

ANÚNCIO

Milhares de peregrinos hassídicos visitam a cidade todo mês de setembro para Rosh Hashana, o ano novo judaico. 

É celebrado de 18 a 20 de setembro deste ano, e alguns peregrinos haviam conseguido chegar a Uman antes que a Ucrânia fechasse suas fronteiras no final de agosto em meio a um surto de infecções pela COVID-19

Milhares de outros viajaram via Belarus, que não impediu a entrada de visitantes estrangeiros.

ANÚNCIO

Autoridades da Ucrânia e Belarus disseram na sexta-feira que os peregrinos hassídicos limparam a “terra de ninguém” entre os dois países, onde acamparam por vários dias, alguns dormindo em barracas improvisadas e outros no chão. 

Leia também: Grécia: Campo de refugiados lotado em quarentena após o caso COVID-19

Os guardas de fronteira de Belarus disseram que menos de uma dúzia deles permaneciam na área.

Ao mesmo tempo, a agência de guardas de fronteira da Ucrânia disse, na sexta-feira (18), que expulsou da Polônia, Hungria e Romênia vários peregrinos hassídicos que tentaram entrar no país.

Como os peregrinos passaram dias presos na fronteira ucraniana, Ucrânia e Belarus se envolveram em disputas por causa do impasse.

Na quarta-feira, o gabinete presidencial da Ucrânia acusou as autoridades de Belarus de emitir sinais enganosos aos peregrinos de que eles acabariam sendo autorizados a atravessar a fronteira.

 Autoridades de Belarus atiraram de volta acusando a Ucrânia de tratamento “desumano” aos peregrinos, e ofereceram ônibus para levar os peregrinos até Uman e voltar para Belarus.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fonte: AP News

ANÚNCIO