Parque temático no Japão permite que visitantes trabalhem em roda gigante

ANÚNCIO

O caos da COVID-19 certamente traria novas modalidades de trabalho, mas aqui está uma que você provavelmente não pensaria: um parque temático “work-from-home”.

Parque temático no Japão permite que visitantes trabalhem em roda gigante
Foto: (reprodução/internet)

Na semana passada, Yomiuriland, um parque de diversões em Tóquio, no Japão, começou a oferecer um pacote de “trabalho-folga” que permite que as pessoas que trabalham em laptops o façam numa piscina ou mesmo em uma roda gigante, uma vez que o parque instalou pontos Wi-Fi por todo o lado.

ANÚNCIO

Estamos oficialmente na era WFFW. Yomiuriland cobra 1.900 ienes (R$101,18 na cotação atual) por passes de dias de semana, que incluem uma cabine e um passe de uma hora para a roda-gigante.

Como em outras nações desenvolvidas, a força de trabalho do Japão mudou drasticamente do escritório para o trabalho remoto desde março. Em junho, seu governo pediu às empresas que visassem ter pelo menos 70% de seus funcionários trabalhando de casa.

Uma pesquisa do site Reuters em agosto mostrou que 65% das empresas incentivavam o pessoal a trabalhar remotamente. De acordo com a BBC News, A Fujitsu, assim como o Twitter, anunciou um acordo permanente de trabalho de casa para seus 80.000 funcionários.

ANÚNCIO

Leia também: Startups renovam métodos durante a pandemia

O Japão tem se saído relativamente bem com a pandemia. Com 1,32 mortes por 100.000 pessoas, sofreu muito menos do que o Reino Unido (65,68 mortes por 100.000), os Estados Unidos (67,03) e nações extremamente atingidas da América do Sul como Brasil (73,36) e Peru (105,19). Houve pouco mais de 92.000 casos no Japão, com 1.670 mortes.

Após um dia de trabalho na Yomiuriland, você poderá pagar um extra para chegar às áreas de diversão do parque.

Traduzido e adaptado por equipe Revolucao.etc.br

Fontes: CNET, The Japan Times, BBC

ANÚNCIO