Google Maps em breve vai indicar pontos de referência para orientar usuários

ANÚNCIO

O Google está adicionando alguns novos recursos notáveis ao Live View, o modo de realidade aumentada do Google Maps que permite que o usuário segure seu telefone e veja sobreposições visuais sobre o mundo real, conforme capturadas pelo visor de sua câmera.

Google Maps em breve vai indicar pontos de referência para orientar usuários
Foto: (reprodução/internet)

 A maior adição é a capacidade de ver indicações visuais correspondentes a pontos de referência notáveis em seu campo de visão, bem como informações sobre quão longe um ponto de referência pode estar e instruções para caminhar por lá.

ANÚNCIO

“Estes marcos podem incluir lugares icônicos, como o Empire State Building em Nova York e o Panteão em Roma, e lugares facilmente reconhecíveis, como parques locais e atrações turísticas”, explica Mirko Ranieri,  gerente de produto da equipe do Google Maps.

 O recurso entrará ao vivo no Android e iOS em breve, diz o Google, com apoio em 25 cidades, incluindo Berlim, Londres, Nova York, Roma, São Francisco e Tóquio. 

O Brasil, entretanto, ainda não está incluído na lista, mas de acordo com o Google, outros lugares serão adicionados em breve.

ANÚNCIO

Outro recurso que vem para o Live View é a possibilidade de entrar no modo direto das direções de trânsito, para que o usuário possa ver mais facilmente como está orientado quando sai de uma estação de metrô e se encontra em um cruzamento.

Leia também: O Google Street pode revelar sua localização para outras pessoas 

O Google tem alguns recursos adicionais para a Live View. 

Estes incluem compartilhamento de localização, para ver distâncias sobrepostas e direções até um amigo, que é compartilhado onde estão no Google Maps, e design mais preciso para que ruas, pontos de referência e outros lugares que envolvem mudanças na elevação apareçam com mais precisão no Live View quando definidos como destinos. 

“Ambos os recursos, com o Live View no guia de trânsito, estão chegando nas próximas semanas”, diz o Google.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fontes: The Verge, Google

ANÚNCIO