Golfinhos cor de rosa retornam a Hong Kong graças ao lockdown

ANÚNCIO

A pausa provocada pela pandemia do coronavírus levou os raros golfinhos cor-de-rosa a voltarem aos mares ao redor de Hong Kong.

Golfinhos cor de rosa retornam a Hong Kong graças ao lockdown
Foto: (reprodução/internet)

A presença do vulnerável golfinho branco chinês aumentou em quase um terço – 30% – desde que o tráfego de barcos e balsa foi suspenso na região em março.

ANÚNCIO

Os cientistas temem que a espécie esteja em extinção, mas dizem que suas pesquisas sugerem que os animais se adaptaram mais rapidamente do que o esperado ao ambiente tranquilo, oferecendo um vislumbre de esperança para suas populações.

Os golfinhos corcunda indo-pacífico, também conhecidos como golfinhos brancos chineses ou golfinhos cor-de-rosa – refletindo sua cor real – foram duramente atingidos pela pesca excessiva, pela poluição da água e por numerosos ferries e barcos.  

A WWF diz que a população no Estuário do Rio das Pérolas, incluindo Hong Kong, é acreditada em cerca de 2.500, mas a queda do número de filhotes poderia reduzir os números no futuro.

ANÚNCIO

Os cientistas aproveitaram o lockdown para soltar microfones de um barco e usar drones para monitorar os golfinhos. Suas pesquisas sugerem que os animais se adaptaram rapidamente ao ambiente mais tranquilo e agora a população poderia começar a se recuperar.

Pesquisadores tem boas perspectivas 

“O que notamos desde que os ferries pararam nesta área são golfinhos que não víamos há quatro, cinco, seis anos estão de volta ao habitat de Hong Kong, então parece muito rápido que os golfinhos voltaram para esta via navegável”, disse a cientista marinha Lindsay Porter.

Leia também: A crise causada pelo homem está afetando o clima, os cientistas provam

“Normalmente, toda esta área estaria cheia de barcos  que levariam as pessoas de Hong Kong para Macau e voltariam novamente. Desde que a pandemia de Covid-19 começou em Macau e muitas áreas tiveram viagens restritas, os ferries rápidos pararam”. E estas águas se tornaram muito, muito calmas”.

A Sra. Porter, que pesquisou golfinhos de Hong Kong por três décadas, acrescentou: “Às vezes sinto que estamos estudando o lento declínio desta população, o que pode ser realmente triste”.

Enquanto isso, no Japão, a caça de golfinhos foi retomada no porto de Taiji, com quatro golfinhos – três de garrafa e um de Risso – sendo capturados no primeiro dia da caça anual, que começou em 1º de setembro e vai até março.  

Os golfinhos selvagens são vendidos em cativeiro em parques de “entretenimento” marinhos e aquários em todo o mundo.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fontes: Independent.co, WWF

ANÚNCIO