Facebook Reality Labs: Nova tecnologia que permite ‘detectar’ as mãos na realidade virtual

ANÚNCIO

O Facebook Reality Labs (FRL) trabalha em muitos projetos que pretendem tornar a interação com a tecnologia mais acessível. A tecnologia em que a FRL está trabalhando inclui fones de ouvido VR e óculos AR. 

Facebook Reality Labs: Nova tecnologia que permite 'detectar' as mãos na realidade virtual
Foto: (reprodução/ Tech@Facebook)

A tecnologia de rastreamento de mão é muito importante para a realidade virtual, permitindo que a tecnologia seja mais imersiva com uma abordagem ” como você é” da interação humana.

ANÚNCIO

O trabalho que está sendo realizado na FRL visa construir dispositivos mais naturais e começou com os controladores Touch. 

Estes controladores foram projetados para serem confortáveis de segurar e tinham muitos sensores dentro. Os controladores de toque proporcionavam a presença da mão do usuário semelhante à vida e faziam com que as interações VR ( realidade virtual) básicas se sentissem mais como a coisa real.

A FRL está trabalhando para eliminar a necessidade de controladores de mão e, em vez disso, detectando a mão humana. 

ANÚNCIO

O novo projeto do Facebook Reality Labs

O laboratório começou a trabalhar no rastreamento manual para VR há mais de cinco anos e, na época, ninguém nunca desenvolveu um rastreamento manual com qualidade e realmente levou até o consumidor. Isso significava que a tecnologia tinha que ser criada a partir do zero.

Leia mais: Virgin Group escolhe estado nos EUA para testar sistema de transporte futurista

A FRL propôs um novo método para permitir a digitação por toque em qualquer superfície plana sem teclado, utilizando o movimento das mãos a partir de um sistema de rastreamento manual baseado em marcadores. Esse sistema insere e decodifica o movimento diretamente no texto que o usuário pretendia digitar.

O que os desenvolvedores dizem

Os pesquisadores observam que a tecnologia ainda está na fase inicial de pesquisa, mas ilustra o potencial do rastreamento manual para atividades.

 Os pesquisadores tiveram que fazer sentido de padrões de digitação erráticos e adotaram técnicas de decodificação estatística a partir do reconhecimento automático da fala usando um modelo de movimento para prever os toques de tecla a partir do movimento da mão. 

Leia também: Startup anuncia veículos sem motorista para transporte autônomo de carga

Usando o método, os datilógrafos tinham em média 73 palavras por minuto com uma taxa de erro não corrigida de 2,4% usando suas mãos, uma superfície plana, e nada mais. Os digitadores alcançaram velocidade e precisão similares usando o novo sistema em comparação com quando usavam um teclado real.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fontes: Slash Gear,Tech @Facebook

ANÚNCIO