Estudo com poeira determinou o Início da ascensão das civilizações humanas

ANÚNCIO

A propagação de seres humanos para fora da África passando pelo Oriente Médio pode ter sido ajudada por uma substância muito comum: a poeira.

Estudo com poeira determinou o Início da ascensão das civilizações humanas
Foto: (reprodução/internet)

Mais especificamente, o sedimento sedimentar conhecido como loess parece ter desempenhado um papel crucial para tornar o Levante Sul, na costa leste do Mediterrâneo, um corredor de terra tão fértil e hospitaleiro para nossos ancestrais viajarem pela região.

ANÚNCIO

Sem o desenvolvimento desta região, os seres humanos teriam tido um tempo muito mais difícil de chegar da África à Eurásia por este caminho, dizem os pesquisadores.

Há uma razão pela qual as antigas terras que se estendem do Egito até o Iraque são referidas como o Crescente Fértil.

“As altas quantidades de sedimentos grosseiros depositados na paisagem contribuíram para a agricultura sustentável única do Levante Sul, que ajudou a transformar o Levante em ‘terra de leite e mel’ e ‘um berço de civilizações”, escrevem os pesquisadores em seu trabalho.

ANÚNCIO

Um nova pesquisa sobre a origem das civilizações

A nova pesquisa oferece várias constatações que desafiam as hipóteses atuais, por que as regiões ao redor do Mediterrâneo variam tanto em termos de tipo de solo: enquanto o solo grosso e fértil geralmente se desenvolve em climas úmidos e úmidos, e o solo mais fino em áreas mais secas, nesta parte do mundo o oposto é verdadeiro.

Alguns pesquisadores atribuem isso à erosão e à atividade humana, mas o novo estudo sugere outro fator em jogo – a propagação do loess, que pode espessar os solos em regiões onde o clima não está transformando a rocha-mãe em solo suficientemente rápido.

Um extenso conjunto de amostras coletadas em torno dessas regiões mostra que lugares com solos finos não tinham recebido loess suficiente para formar os solos ricos necessários para a agricultura, mas lugares ao longo do sudeste do Mediterrâneo tinham – principalmente do deserto vizinho de Negev e seus enormes campos de dunas.

Estudo com poeira determinou o Início da ascensão das civilizações humanas
Foto: (reprodução/ The Geological Society of America)

O loess teria começado a se acumular durante o Pleistoceno, cerca de 180.000 anos atrás, sugerem os pesquisadores, produzido como geleiras moídas na rocha e depositado sedimentos no que é hoje o Negev. Essa fonte extra de poeira teria sido crucial para a produção de solos mais espessos no Levante.

“O planeta inteiro era muito mais denso”, diz Rivka Amit, da Geological Survey of Israel. “A erosão aqui é menos importante”. O que é importante é se você recebe um influxo de frações [de poeira]. [Sem isso] você fica com solos finos e improdutivos”.

Leia também: Análises de DNA de centenas de vikings revelam que eles não eram quem pensávamos

Desde a retirada das geleiras e seus efeitos climáticos, a principal produção de loess foi cortada, e os solos no Mediterrâneo hoje estão apenas recuperando o loess que já está lá.

Voltando no tempo para antes do Homo sapiens viajar para fora da África em números significativos, a região do Levante teria sido muito mais inóspita – como mostram os solos muito finos que os pesquisadores descobriram sob o sedimento de loess de textura fina em suas amostras.

“A paisagem era totalmente diferente, portanto não tenho certeza de que as pessoas [teriam escolhido] esta área para viver, porque era um ambiente duro e [uma] paisagem quase nua, sem muito solo”, diz Amit.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fontes: Science Alert, Geology, Science Direct

ANÚNCIO