Empresa quer desenvolver uma IA que detecte crimes financeiros

ANÚNCIO

A plataforma de segurança Ripjar quer desenvolver uma IA que detecte crimes financeiros.

Empresa quer desenvolver uma IA que detecte crimes financeiros
Foto: (reprodução/internet)

O crime financeiro, uma categoria mais ampla de crimes cibernéticos, torna-se continuamente um dos mais potentes ataques on-line, já que cobre crimes hediondos como lavagem de dinheiro, fraudes e financiamento do terrorismo. 

ANÚNCIO

Uma das empresas iniciantes na tecnologia decidiu construir soluções de inteligência de dados que ajudariam a combater as ameaças financeiras.  

A Ripjar levantou agora US$ 36,8 milhões para desenvolver uma Inteligência Artificial (IA) que pudesse detectar crimes financeiros.

 A empresa sediada no Reino Unido, construída por cinco cientistas que recentemente trabalharam na Sede de Comunicações do Governo Britânico (GCHQ), planeja expandir sua plataforma de inteligência artificial chamada “Labyrinth” para ampliar o negócio.

ANÚNCIO

A GCHQ é o equivalente da National Aeronautics and Space Administration (NASA) no Reino Unido. A empresa explicou que a IA usa processamento de linguagem natural e uma plataforma baseada em API, trabalhando com dados estruturados e não estruturados.  

O Labirinto permite que as organizações incorporem qualquer fonte de dados que prefiram monitorar e analisar para atividade. A IA verifica automaticamente os dados em tempo real contra outras fontes, tais como listas de pessoas politicamente expostas (PEPs), alertas de transações e listas de sanções.  

Quem coordenou o investimento?  

Long Ridge Equity Partners, um investidor especializado em fintech, lidera o financiamento da Ripjar. Outros investidores, tais como Accenture plc e Winton Capital Ltd, também participaram do projeto. 

A empresa se recusou a divulgar nomes específicos de seus clientes do governo, onde sua plataforma é utilizada para atividades de contraterrorismo. Entretanto, a Ripjar disse que sua extensa lista de parceiros inclui outras empresas como BAE Systems, Dow Jones, PWC, e mais.  

Leia também: Escândalo com o HSBC revela 2 trilhões de dólares de dinheiro ilegal em seus sistemas

“Estamos entusiasmados com a parceria com a Long Ridge que traz experiência e recursos em empresas de software de rápido crescimento”, disse Jeremy Annis, CEO da Ripjar.  

“Este investimento sinaliza enorme confiança em nossa tecnologia de inteligência de dados líder mundial e capacidade de proteger empresas e governos de comportamentos criminosos que ameaçam seus ativos e prosperidade”, acrescentou ele.  

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fonte: Tech Times

ANÚNCIO