“Dieta Reversa”, um novo estilo de vida

ANÚNCIO

O que é “Dieta Reversa” afinal?

Embora haja muitos debates sobre qual tipo de dieta é melhor para a perda de peso e para a saúde, muitas vezes não é a perda de peso que é o maior desafio, mas sim evitar a recuperação de peso depois.

ANÚNCIO
"Dieta Reversa", um novo estilo de vida 5
Foto: (reprodução/internet)

Isto pode levar a ciclos de dieta e ganho de peso, ou dieta” iô-iô”, que pode fazer com que as pessoas tenham uma relação menos saudável com a comida, pior saúde mental e um aumento de peso.

Mas recentemente, a “dieta reversa” ganhou popularidade online como um plano de alimentação pós-dietas que afirma que pode ajudar a evitar a recuperação de peso ao comer mais. Em termos simples, é uma forma controlada e gradual de aumentar de um plano de alimentação com baixo peso calórico para uma forma de alimentação pré-dietética mais “normal”.

A ideia com dieta reversa é que o aumento gradual da ingestão calórica após um deficit permite que seu corpo e seu metabolismo “se ajustem” para que você possa evitar a recuperação de peso enquanto come mais.

ANÚNCIO

Entretanto, não há atualmente evidências científicas que demonstrem que a dieta reversa funciona como afirmam os defensores.

Metabolismo e suas facetas

A dieta reversa se baseia na teoria de que nosso corpo tem “pontos de referência” para o metabolismo e a ingestão de calorias ligados à nossa genética, e se formos em cima desses pontos, ganhamos peso.

A ideia é que a dieta reversa pode deslocar esses “pontos de ajuste” para cima se uma pessoa aumentar lentamente a quantidade de calorias ingeridas como alimento. Isto teoricamente “impulsionaria” seu metabolismo, permitindo-lhes consumir mais alimentos e calorias sem ganhar peso.

Entretanto, a ideia de que como seres humanos temos um “set point”, que podemos manipular com mudanças dietéticas, não é amparada pela pesquisa.

A principal razão para isto é porque vários fatores influenciam nosso peso e metabolismo, incluindo como ele muda. Entre eles estão como somos educados, a que alimentos temos acesso, a que tipo de exercício fazemos e nossa genética.

Leia também: Pesquisadores descobrem que os sonhos são a continuação da realidade

Mas a influência mais importante sobre como nosso corpo usa calorias – e portanto nosso peso – é nossa taxa metabólica de repouso (ou basal). Esta é a quantidade de calorias que nosso corpo precisa para se manter vivo. Isto representa cerca de 60 a 70 por cento das calorias que usamos diariamente.

Nossa taxa metabólica basal é determinada principalmente por nossa idade, peso, sexo e massa muscular – sua dieta tem pouco efeito sobre ela.

Comer com ou abaixo de sua taxa metabólica basal resultará em perda de peso, e comer acima dela resultará em ganho de peso.

Nossa taxa metabólica basal também aumenta conforme ganhamos peso ou massa muscular, e diminui conforme perdemos peso ou massa muscular (as evidências mostram que quanto mais músculo seu corpo tem, mais calorias ele precisa para funcionar).

"Dieta Reversa", um novo estilo de vida 6
Foto: (reprodução/internet)

O exercício também aumenta quantas calorias usamos, mas geralmente não o suficiente para afetar maciçamente nosso peso. E embora uma dieta rica em proteínas possa alterar um pouco a taxa metabólica, nosso peso corporal e a massa muscular têm o maior efeito sobre ela.

Portanto, a dieta reversa parece funcionar apenas pelo controle da ingestão calórica. Atualmente não há evidências de que você possa alterar seu metabolismo ou taxa metabólica, introduzindo mais calorias lenta e gradualmente.

Simplificando, se você comer mais calorias do que seu corpo precisa, você vai ganhar peso. O que sabemos é que certos hábitos, como tomar café da manhã e fazer exercícios regularmente, ajudam as pessoas a evitar a recuperação de peso após uma dieta.

Comida X Corpo

Embora atualmente haja pouca pesquisa investigando os efeitos da dieta reversa sobre o metabolismo, ela ainda poderia ajudar as pessoas de outras formas.

Quando algumas pessoas estão perdendo peso, elas podem se sentir no controle de como se alimentam. Mas para algumas pessoas, a interrupção da dieta poderia levar à percepção de perda de controle.

A dieta reversa pode dar a algumas pessoas a confiança para retornar a uma forma mais sustentável de comer, ou ajudá-las a sair de um ciclo de dieta restritiva.

Os defensores da dieta reversa sugerem que ela também pode ajudar a administrar problemas de apetite e desejos. Isto porque alimentos adicionais podem ser acrescentados à medida que a quantidade de calorias e alimentos consumidos aumenta.

Embora menos desejos possam ajudar na manutenção do peso, esta evidência não vem de estudos onde os alimentos foram lentamente reintroduzidos. Para algumas pessoas, a contagem de calorias ou uma dieta restritiva pode levar a uma relação pouco saudável com seu corpo e com os alimentos que consomem.

A Ortoexia nervosa está se tornando cada vez mais comum e se caracteriza por uma obsessão com uma alimentação saudável – o que pode levar a uma restrição prejudicial à saúde e à relação com os alimentos.

Embora querer comer uma dieta saudável possa parecer uma coisa boa, quando se trata de Ortoexia e o prazer de comer é substituído por uma ansiedade de sentir a necessidade de prestar contas de cada caloria, isto pode levar a uma saúde mental precária.

A dieta reversa é uma abordagem, mas alguns argumentariam que outros métodos, como a alimentação intuitiva – que enfatiza ouvir os sinais de fome de seu corpo e comer apenas quando se tem fome – podem ser psicologicamente mais saudáveis. A alimentação intuitiva pode ajudar as pessoas a se sentirem mais saudáveis.

Traduzido e adaptado por equipe Revolucao.etc.br

Fontes: Science Alert, National Eating Disorders

ANÚNCIO