Conversas durante viagem com a Uber poderão ser gravadas

Os arquivos de áudio poderão ser usados para fazer denúncias sobre o comportamento do motorista ou passageiro.


Agora, a Uber vai permitir que usuários e motoristas gravem áudios durante a viagem. O áudio poderá ser gravado pelo próprio aplicativo de transporte. A novidade foi anunciada na quarta-feira (6) desta semana e deve chegar ao Brasil até 2020.

O intuito da novidade é uma tentativa da empresa americana de transporte de passar mais segurança ao serviço para o motorista ou passageiro.

a uber
Foto: (divulgação/Uber)

O que diferencia a ferramenta de um gravador comum é que o áudio não poderá ser escutado após a gravação. As gravações ficam armazenadas no dispositivo e não irão consumir muito espaço interno do aparelho.

Somente a Central de Atendimento da Uber poderá escutar os áudios, pois é a única que possui as chaves para quebrar as criptografias dos áudios e executá-los. Porém, a empresa só irá fazer isso nas conversas que receberem denúncias de comportamento irregular do motorista e passageiro.

ANÚNCIO

Mais segurança aos usuários

Além da novidade de poder gravar as conversas ocorridas dentro do veículo, a Uber vem investindo em uma série de recursos para aumentar a segurança de quem usufrui do aplicativo de transporte, especialmente na América Latina. Apesar de a região contar com apenas 8% da população mundial, é considerada uma das mais violentas, com pelo menos 37% dos crimes violentos ocorridos no mundo.

Dentre os planos, a empresa pretende fazer uma nova verificação da identidade dos passageiros e dos quase 1,5 milhão de motoristas que trabalham no aplicativo. Além disso, usuários que queiram efetuar o pagamento em dinheiro precisarão passar por uma outra etapa adicional de segurança, onde será solicitado o envio de um comprovante de identidade.

O objetivo da ferramenta é evitar que pessoas usem o aplicativo para cometer assaltos ou transportar drogas. A lógica é ter mais informações da pessoa para, caso algo aconteça, facilitar o rastreamento. A expectativa é de que o recurso chegue ao Brasil até o terceiro trimestre de 2020.

Após vários testes com resultados positivos, a outra novidade que chegará ao país é a checagem de rotas, que funcionará da seguinte forma: se o passageiro se sentir desconfortável com a rota que o motorista está fazendo, ele pode solicitar para o aplicativo fazer uma checagem do caminho escolhido e, caso o trajeto não seja compatível, a empresa entrará em contato tanto com o motorista quanto com o passageiro para verificar se precisa de algum suporte.

Investimentos contra violência

A Uber informou, recentemente, que investirá mais de R$ 5 milhões, nos próximos três anos, ao enfrentamento à violência contra a mulher. O investimento contará com entidades que são referências no tema.

A empresa realizará projetos com instituições como: Instituto Igarapé, Instituto Patrícia Galvão, Rede Feminista de Juristas (deFEMde), Promundo, Equis Justicia, ACTO e Fondo Semillas.

O projeto tem ligação com o recente anúncio do programa Elas na Direção e U-Elas, um recurso que permite que motoristas femininas optem por transportar somente mulheres.

ANÚNCIO