Computação em nuvem define o futuro da Microsoft

ANÚNCIO

Os negócios da Microsoft na nuvem crescem a todo vapor à medida que a pandemia impulsiona inovações.

Computação em nuvem: O futuro da Microsoft
Foto: (reprodução/internet)

O negócio de computação em nuvem da Microsoft Corp ganhou vida e seu software de mensagens e colaboração de equipes ganhou novos usuários, já que agora temos home office. As aulas online também impulsionaram os resultados trimestrais antes das metas dos investidores.

ANÚNCIO

A COVID-19 acelerou um movimento em direção à computação baseada em nuvem, ajudando empresas como Microsoft, Amazon e o Google Cloud da Alphabet Inc.

Microsoft em 2020

Para a Microsoft, ela também aumentou a demanda por seus sistemas operacionais Windows para laptops e seus serviços de jogos Xbox à medida que as famílias trabalham, aprendem e jogam em casa, levando a um lucro que ficou cerca de 30% acima das expectativas.

Os usuários de suas plataformas e softwares de colaboração subiram de 75 milhões em abril para 115 milhões, disse a empresa.

ANÚNCIO

“Foi outro trimestre saudável, com a demanda contínua por ofertas remotas continuando a gerar resultados”, disse a diretora financeira da Microsoft, Amy Hood, em uma entrevista ao site Reuters.

Os incríveis números da Microsoft

O crescimento da receita da Azure, a principal frente de computação em nuvem da empresa, foi de 48%, um ponto percentual acima do trimestre anterior e à frente das estimativas da Wall Street de 43,45%, de acordo com dados consensuais da Visible Alpha.

Leia também: Microsoft: Novo centro de dados portátil para atender lugares remotos

Hood disse que o aumento no primeiro trimestre fiscal que terminou em setembro foi impulsionado por “um aumento nos contratos Azure maiores e de longo prazo”.

Em uma chamada do investidor, ela previu “um crescimento forte e contínuo” para o Azure.

A Microsoft passou a vender muitos de seus produtos através de assinaturas mensais, o que os investidores gostam porque gera fluxos de receita estáveis.

Progresso em meio a crise

A Microsoft agrupa vários conjuntos de software e serviços como Office e Azure em uma métrica de “nuvem comercial” que os investidores observam atentamente para avaliar o progresso da empresa na venda para grandes empresas.

Leia mais: Microsoft Edge: Nova funcionalidade deixa navegador mais rápido

As margens brutas da nuvem comercial da Microsoft – uma medida da rentabilidade de suas vendas – foi de 71%, comparado com 66% um ano antes.

Hood disse que parte do aumento foi explicado por uma mudança nas regras de contabilidade dos servidores da Microsoft, mas as melhores margens também foram impulsionadas pelas vendas de software lucrativo como o Dynamics 365, que compete com o Salesforce.com CRM.N.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fontes: Reuters, Visible Alpha.

ANÚNCIO