Ataques cibernéticos são um risco para democracia global, diz presidente da Microsoft

ANÚNCIO

Democracias ao redor do mundo estão sob uma constante onda de ataques cibernéticos que devem ser identificados, chamados e detidos, disse o presidente da Microsoft, Brad Smith esta quarta-feira (20) numa reunião de oficiais de segurança e defesa.

Ataques cibernéticos são um risco para democracia global, diz presidente da Microsoft
Foto: (reprodução/internet)

Falando no Atlantic Future Forum essa semana, Smith nomeou a Rússia, China, Irã e Coreia do Norte como os estados mais frequentemente envolvidos em ciberataques maliciosos visando eleições e a política interna de outros países.

ANÚNCIO

“Estamos vivendo neste período de tempo que certamente não é necessariamente uma guerra, mas que também não se sente inteiramente como paz”, disse ele.

 “É esta zona cinzenta onde vemos estes constantes ciberataques.”

“Há cinco anos, acho que pensamos sobre isso principalmente em termos de ataques a, digamos, infraestrutura convencional ou nossas capacidades militares, mas hoje acho que se tornou apenas uma investida na própria democracia”.

ANÚNCIO

Os riscos dos ciberataques

As autoridades americanas advertiram que países como a Rússia e o Irã estão tentando influenciar o resultado das eleições presidenciais dos Estados Unidos em 3 de novembro. 

Entretanto,  Moscou e Teerã têm negado repetidamente tais acusações.

Leia também: Ciberataque da Microsoft: Rússia Irã e China contra Estados Unidos

Smith disse que a “pirataria e armamento” de e-mails privados e campanhas de desinformação representavam as maiores ameaças. “Acredito que é um dos maiores riscos para a proteção de nossas democracias de hoje”.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fonte: Reuters

ANÚNCIO