Web 2.0 não significa nada. Me desculpe!

As vezes pronunciar-se contra um conflito em que todos estão com as armas nas mãos preparados para o ataque, pode tranformar o conflito em guerra. Mas me desculpem, Web 2.0 não significa nada! Não significa nada mesmo.

Há diversos caras aí muito famosos e conhecidos falando sobre Web 2.0 em todos os lugares que conseguirem alguns trocados para falar sobre isso. Andando nas ruas esta semana pude ver em uma banca várias revistas com o “Web 2.0” bem destacado na capa. Pensei comigo mesmo, “isto está vendendo”! Todos querem ler sobre Web 2.0 até meio receiosos ou envergonhados de ainda não saberem nada a respeito. Meu conselho é: esqueçam isso, este conceito não significa nada.

Devo admitir que por alguns dias eu achei que isso realmente tinha algum significado. A “web como plataforma”, todos diziam! As coisas se comunicando e se relacionando! Isso, e aquilo, e blá blá blá. Por um ou dois meses eu esqueci isso. Mas com o tempo você acaba se esbarrando com uma coisa ou outra e me dei conta de que isso não significa nada na prática. Me empolguei até começar a tentar entender como as pessoas estavam definindo “isso”. Conclusão “buzzword” ou “frase de efeito sem muito significado para impressionar o leitor”. Nada mais que isso.

Na verdade se você está todo assustado comigo falando sobre web 2.0, admire-se, eu cheguei até tarde. Não estou nem querendo ser original. Só estou espalhando a notícia. Até o Bruno Torres em meados de outubro de 2005 já tinha dado um “chega pra lá” de mansinho e parece que ficou meio despercebido. O Élcio recentemente também te convidou a colocar os pés no chão e até eu meio tímido fiz isso no Designing for Web 2. E confesso que estou escrevendo este texto para ficar com a consciência limpa!

As pessoas estão falando de Web 2 como se fosse mágica, mas não há nada de diferente acontecendo lá fora. O Google está mais rico, alguns asiáticos estão mais pobres, a Nike continua fazendo tênis na China, a web está crescendo e o brasileiro não está mais inteligente! Tudo normal. Li um texto escrito por Jeffrey Zeldman no A List Apart chamado Web 3.0. Foi o estímulo de que precisava para escrever meu desabafo. Zeldman disse uma coisa muito interessante sobre isso. Falar de “web 2.0” é lucrativo. Só isso. E aínda diz, que é isso é um pouquinho ignorante, burro. Leia lá antes de me criticar.

Quando eu comecei a ouvir sobre este termo e a navegar muito para tentar entendê-lo, percebi que as pessoas estavam fazendo um alvoroço por causa de coisas que já estávam “aí” e por causa de um “jeito” que já estava caminhando para onde nós já “estamos”. Muitas pessoas citam AJAX como uma revolução. Pra começar é algo velho que está ficando popular agora. AJAX é JavaScript, não é tecnologia, é um jeito. Em segundo lugar, AJAX não é pra ser usado em qualquer lugar. Quem sabe um pouquinho vai entender que usá-lo significa obstrução e em um momento em que se fala muito sobre acessibilidade. Muito se fala sobre como fazer isso ou aquilo em AJAX, mas pouco se discute qual é o melhor lugar pra fazê-lo. E este é só um exemplo.

Não se sinta culpado por ter acreditado nisso. Eu também cheguei a acreditar. Como eu escrevi em Designing for Web 2, Se você está preocupado com Web2, esqueça o termo completamente e estude web standards, acessibilidade e Microformats. Espalhe a notícia.

Leia