Os melhores textos que eu discordo!

Recentemente conversei com algumas pessoas sobre a passionalidade com que as opiniões são expressadas na web. Na verdade a web funciona como um catalisador de algo que sempre existiu que é a rivalidade no mundo das idéias. Há 100 anos atrás a quantidade de pessoas que expunham publicamente suas idéias era infinitamente menor do que é hoje. Qualquer criança de 8 anos hoje consegue criar uma conta gratuita no Blogspot e começar a escrever sobre futebol de botão se quiser.

Neste contexto, encontramos muitos exemplos de qualquer coisa, principalmente de oposição a algo. Quem não se lembra da onda do “eu odeio …”? Acredito que nunca se opôs tanto na história como atualmente e os blogs são as principais ferramentas disso. O zeitgeist do nosso tempo é ter o que se opor. Existem centenas e milhares de pessoas que detonam com pessoas como se detonassem idéias. E existe outros milhares de pessoas realmente interessadas em ouvir opiniões divergentes, pelo simples prazer de apreciar uma boa reflexão. Eu me coloco nesse partido. Sempre gosto de citar Nelson Rodrigues que disse que “toda unanimidade é burra”. Se em um grupo de mais de 5 pessoas em que todos concordam em tudo, eu chamo isso de broto de seita apocalíptica.

Temos casos clássicos como a briga entre Rousseau e Voltaire e entre Richard Wagner (o compositor) e Nietzsche em que oposições de idéias foram levadas para o lado pessoal. Pessoalmente eu sou contra a exposição de idéias que atacam pessoas e não idéias nos blogs e na vida privada. Será que este princípio vale pra tudo? Não sei, não sou eu que vou dizer mas quando pensamos em Hitler e na eugenia não dá pra se esquecer de Hitler e ficar só com a eugenia na cabeça. Eu acredito que discutir idéias é mais profissional e maduro do que detonar com pessoas. Deixem isto para a imprensa marrom e para os cadernos de fofocas. A rivalidade entre idéias só é saudável na minha opinião quando é sincera, criativa e não passional. Sim, não passional.

Se você é um profissional da web ou está querendo se profissionalizar, em um ambiente corporativo não me interessa (ou ao seu chefe, superior ou cliente) quem você odeia e porque você o odeia. Pessoas são pessoas e idéias são idéias. Pessoas mudam de idéia. Seu cliente quer soluções e as melhores idéias. O profissionalismo está em conseguir se relacionar com pessoas de idéias completamente opostas e encontrar o melhor caminho juntos. Mesmo que no final você continue discordando de algo. Lembre-se que se tudo der errado na vida, você ainda pode escrever textos para a coluna social no seu jornal local.

O problema da passionalidade é que ela leva ou ao amor irracional ou ao ódio mortal. Este não é um ambiente propício para se discutir idéias. Pessoas são mais importantes que idéias. Muito mais. Escrever posts atacando pessoas gera inimizades ao invés de discutir idéias. Meu interesse é ter todos como amigos, até os que não concordam com minhas idéias e ser livre para me opor a eles e ser livre para manter minha opinião sem ofensas passionais. Meu objetivo ao escrever neste site não é menosprezar pessoas e detonar com elas. Pessoas mudam. Eu também mudo. Amanhã eu posso me decepcionar com desenvolvimento para web, largar tudo e abrir um lanchinho na esquina da minha casa e ir fazer sanduba. Eu só quero olhar pra trás e saber que fiz amigos e não detonei com pessoas no meu site.

Escrevi este texto para aproveitar e linkar os 3 melhores textos de pessoas que eu adoro ler mas que não concordei com as idéias expostas em um determinado contexto ou determinado artigo. Faça isso no seu site se quiser. São pessoas que escrevem conteúdo que admiro e nem por isso perco a liberdade de discordar. E estou escrevendo isso não é pra você concordar comigo e sim convidando pessoas para discutir idéias e não pessoas. Escrevi recentemente sobre moderação no meu site, e um dos meus critérios pessoais é excluir comentários que insistem em ofender pessoas. Ou seja, demonstre que você sabe discutir idéias ao invés de atacar pessoas.

Aqui vai minha seleção de textos.

Adeus aos blogs: Grande parte dos textos que eu realmente gostei de ler na web foram de autoria do Cardoso. Eu sempre apreciei o cinismo (por isso sou fã de Voltaire) como literatura e esse cara sabe ser como poucos. Exige até coragem. Diferentemente dos textos do Roberto Pompeu de Toledo (que eu odeio), os textos do Contraditorium são poéticos e apimentados. Este texto “Adeus aos blogs” eu não concordei por tratar de uma avaliação dos sentimentos e atitudes que um blogueiro teve ao parar de escrever. Ótimo texto, recomendo a leitura.

A Globo.com entendeu que texto é diferente de letra: O Walmar Andrade é outro sujeito que escreve muito bem como poucos. Tem ótimos textos e sacadas legais. Ele escreve muito sobre freela e arquitetura da informação. Neste texto que eu recomendo, eu acredito que a para o usuário em termos de usabilidade, a diferença entre se utilizar “tamanho do texto” e “tamanho da letra” é completamente irrelevante. Mas o Walmar tem uma opinião diferente que vale a leitura.

XHTML: pensando no futuro? O Bruno tem uma opinião diferente da minha quanto aos mime types de XHTML. Até hoje. Em XHTML Media Types eu explico a minha. Se for somar o tempo total que nós gastamos discutindo isso por MSN daria um livro. O Bruno é daqueles de que quando o mundo estiver próximo do fim, ele já terá fundando uma civilização subterrânea que sobreviverá a tudo. Se você não tem preconceitos de achar que o mundo é perfeito (e que daqui alguns anos podemos trabalhar com HTML 5 e o XHTML estará morto), leia o texto do Bruno e faça suas reflexões.