Making of do Webinsider

O novo Webinsider está no ar. Meses atrás em conversas pessoais com o Vicente Tardin (editor e criador do Webinsider) a Webroom fez uma proposta de reformulação do site que se concretizou. O resultado final já está publicado e disponível ao leitor. Eu me envolvi diretamente no projeto repensando as adaptações e necessidades editoriais que o Vicente precisava, cuidei do design e da implementação do XHTML e do CSS e o Flávio Kaminisse cuidou da programação e de toda a migração e adaptações necessárias no WordPress. Eu preparei este texto para dar alguns detalhes dos bastidores de produção.

Estou muito satisfeito com o resultado final e considero um dos meus trabalhos mais gratificantes. Foram semanas e semanas pensando em cada detalhe da migração do velho Webinsider, que nunca havia sido refeito, que tinha um código inicial criado antes da existência do XHTML e que sofria benfeitorias eventuais. Esta é a segunda versão do Webinsider em 6 anos, refeita do zero. O WordPress foi uma escolha do Vicente que nos agradou e muito. Para quem não conhece, o WordPress é uma ferramenta de atualização de conteúdo para blogs gratuita e bastante popular.

Todas as novas funcionalidades e adaptações desde o início deveriam seguir cuidadosamente necessidades editoriais que o Webinsider sempre prezou em manter. Por isso que mudanças drásticas de conteúdo não foram feitas. Quando se pensa na migração de um site com muito conteúdo, que foi feito 6 anos atrás e que atrai milhares de pessoas todos os dias, vários detalhes devem ser considerados e alterações não podem ser feitas por empolgação. Essa cautela e cuidado justificou os quase 3 meses de desenvolvimento.

Uma implementação que vinha sendo pedida por vários leitores era a possibilidade de comentar as matérias. Agora os comentários do leitor por artigo podem esquentar e muito as discussõs nos textos mais polêmicos servindo de feedback direto para os colunistas e os outros escritores. Outra novidade interessante é que agora cada escritor possui uma “página” com a listagem em ordem de todos os artigos lá publicados. Isso permite aos leitores acompanhar todos os artigos de um autor independente da coluna em que ele foi publicado e sem muito esforço. Os artigos mais antigos ainda serão reeditados um à um com o tempo para se adaptarem melhor ao novo formato editorial.

A usabilidade também foi toda revista. Desde a navegação até a ordem com que a informação aparece no código fonte. Implementei uma navegação mais intuitiva e que permite ao usuário se localizar dentro de uma seção em qualquer lugar, mesmo dentro de um artigo. A acessibilidade através de um código racional e com técnicas de SEO também foi observada. É possível navegar em todo o site facilmente mesmo desabilitando a folha de estilos.

A reformulação completa do HTML em algo que seguisse mais os padrões web foi observada religiosamente. Ou seja, procurei encontrar as soluções mais elegantes possíveis para receber o conteúdo de um banco de dados antigo. Os resultados foram muito satisfatórios, mais do que eu esperava no início. Mas em alguns trechos que deveria receber conteúdo vindo do banco de dados, é impossível fazer certas adaptações. Nestes casos escolhas quase que “morais” sempre são feitas de forma cuidadosa.

Agradeço o Vicente pela amizade e compreensão em todas as horas de trabalho gastas pelo Skype e ao meu fiel amigo e escudeiro Flávio Kaminisse por seguir todas as adaptações sugeridas e que pareciam ser o caminho mais longo e que acabou sendo o mais eficiente. Saúde e longa vida ao Webinsider!