Google e os padrões web

As vezes fico me perguntando porque há tantas pessoas interessadas em ter seus sites bem indexados pelo Google mas nunca ouviram falar de web standards ou então, quando sabem, possuem apenas um conhecimento muito precário como vimos em massa no Google Search Masters. Ou seja, muitas pessoas interessadas versus poucas que sabem o que estão falando. Por onde estas pessoas estão dando seus primeiros passos? Como estão aprendendo HTML e porque não conseguem fazer boas “conexões” entre diferentes conceitos?

A primeira consideração é que isso não é só um problema no Brasil. Mas como estamos por aqui, costumamos “sentir o clima” de ignorância no ar mais de perto. Ter ouvido um cara perguntar no Google Search Masters se o Google indexa sites em tabelas (quase tive um ataque epilético por causa daquilo) mostrou apenas que o Google precisa dar mais atenção para os novatos e reforçar canais de comunicação como a Central do Webmaster em todos os idiomas possíveis. Sem entrar no mérito se falta conhecimento e acesso aos brasileiros ou se por coincidência o Google conseguiu por amostragem concentrar o maior número de pessoas com falta de bom senso individual, (repetindo, não entrem no mérito dessa discussão nos comentários) o fato é que quando queremos comunicar uma idéia, precisamos pensar no caminho que ela deverá percorrer das diversas formas possíveis, inclusive com pessoas sem nenhum conhecimento. Esta é uma abordagem ok?

Vi no Berea Street uma consideração interessante sobre algumas ações pontuais do Google cada vez maiores (e melhores) de reforçar que web standards é o caminho. Veja os tópicos presente no texto dentro do Webmasters Help Center chamado Making sure your site appears properly in different browsers:

Agora veja os tópicos tratados no texto Workin`it on all browsers presente no Google Webmasters Central Blog:

Quer comunicação mais direta que essa? O Google não ensinou HTML, mas colocou termos no texto (in english my friend) que se você procurar no buscador homônimo vai encontrar milhões de referências ensinando sobre usabilidade, acessibilidade, CSS, HTML, etc. Interessante que o último item dessa última listagem de tópicos nada mais é do que o “spread the word” que os blogs que tratam de padrões web sempre fizeram.

Quer trabalhar com web? Não interessa se será como arquiteto da informação, programador, gerente de projetos, redator (web writer), marketing, publicidade, testador (QA), dono da empresa, cliente, etc. Com certeza há um conjunto de informações relacionadas com os padrões web e normas de boas práticas que você precisa conhecer, claro que em diferentes níveis e doses para cada tipo de profissional.