Eu já disse que validação não significa nada?

Lendo textos e comentários em blogs por aí eu fiquei analisando o que muitas pessoas pensam sobre os web standards. Não é vergonhoso não saber algo que você está aprendendo mas é muito triste ver pessoas ostentar aquilo que não conhecem ou que não sabem nada a respeito. É simplemente amador.

[ UPDATE ]

Achei interessante um post sugerido pelo Alexandre postado hoje (20/03/2006) no Berea Street que diz basicamente o que eu disse aqui. Validity does not equal best practices.

[ /UPDATE ]

Validação não significa nada

Muitas pessoas ficam presas a validação do (X)HTML. Elas associam validação com semântica e cometem o grande erro dos iniciantes. Eu já escrevi sobre isto e basta você rever meus argumentos. Mas semântica não é validação e nunca haverá algum tipo de relação entre elas. O validador da W3C serve para te ajudar a encontrar algum erro de sintaxe que está difícil de achar, serve pra te ajudar a ver se você deixou alguma tag aberta sem fechar mas ele nunca vai te informar se você está usando as tags corretamente nos lugares certos. A validação de um site não mede nunca a competência de um profissional. Se você tem o seu site validado isso não significada nada.

Os pedantes

Pedante é aquela pessoa que possuiu muita “vaidade” na maneira com que fala das coisas, e que acaba de forma arrogante e precipitada ostentando conhecimentos que na verdade não possui. Todos que foram adolescentes um dia sabem o que é isso. Geralmente este comportamento está relacionado com uma necessidade de auto-afirmação, uma necessidade de se impor ideologicamente. O profissional pedante é aquele que vai se apegar a detalhes desnecessários e vai se esquecer do principal. E ainda vai se orgulhar disso: “tenho um site validado em XHTML Strict”. Isso não significa nada.

Muitas vezes vários sites possuem erros de sintaxe por que são alimentados por editores de CMS e por pessoas não especializadas em markup de XHTML. Nada mais natural do que isso. Um site criado sobre padrões semânticos de HTML diz muito mais sobre a qualidade de um trabalho do que se ele é validado ou não. No mundo real, um site seguindo os padrões web e com alguns erros de sintaxe são centenas de vezes mais eficiêntes para os mecanismos de busca, do que um site não semântico mas validado. A razão disso é que o significado das tags é mais importante do que alguns erros de sintaxe. Lembre-se disso.

Seja no HTML ou XHTML erros de sintaxe são completamente ignorados pelos browsers com exceção daqueles relacionados com a estrutura. Diferentemente dos parsers de XML, você pode sustendar centenas de erros de sintaxe e ainda assim ter seu site perfeitamente apresentável nos browsers. Do mesmo modo é possível ter uma verdadeira tag soup no seu código fonte e ainda assim ter seu site validado pela W3C, desde que não tenha erros de sintaxe. Até um site completamente estruturado em tabelas pode ser validado.

No futuro quando tudo na web for servido como xhtml+xml, erros de sintaxe não serão permitido, mas não é uma preocupação que traga alguma dor de cabeça hoje.

A web será 2.0 somente quando ela for uma web semântica

Muitas pessoas estão preocupadas com Web 2.0 porque alguns meses atrás muitos sites (parece que o Gmail foi o carro chefe) começaram a utilizar JavaScript para fazer requisições assíncronas e várias ferramentas colaborativas surgiram e de repente “boom”; todos só falam em Web 2.0. Puro hype do momento.

Pra mim a web será 2.0 quando toda a web for Web semântica, seguindo os padrões RDF, quando tudo tiver o XML como a base de ordem e lei e a interoperabilidade da web for algo que possa facilmente ser servido a vários dispositivos de forma mais a la carte possível. Ficar usando JavaScript obstrusivo e construir coisas que se mexem é tão amador quanto àquele período em que todos colocavam animações feitas em Flash em seus sites e achavam que os dias do HTML estavam contados.

Mas isto tudo sobre uma web semântica ainda está muito longe de se tornar realidade, principalmente considerando que o Internet Explorer 7 não vai suportar o MIME type aplication/xml+xhtml. Quem sabe daqui alguns 6 ou 7 anos a web comece a dar os primeiros passos reais no mundo da web 2.0? Quem sobreviver verá.