Complexo de Rosângela. Há limites para a tolerância na web?

Um pessoa que se identifica como Rosângela escreveu nos comentários do meu texto intitulado de “O que você acha de esquecer 800 x 600?” o seguinte trecho aqui inteiramente transcrito:

 

Sabe o que eu acho… Você é um calhorda, estúpido e ainda por cima se acha o tal. Achar que só porque as pessoas tem monitor de 800×600 não são desenvolvedores é uma discriminação. Quero mais é que você morra, patife! (e pode tirar o meu comentário daqui que eu sei que você não é homem para deixá-lo)

Comentários assim tem sido vistos por ai com certa freqüência. A Rosângela não é um caso isolado e eu apenas aproveitei o comentário dela como parte do meu diagnóstico de um tipo de troll. Seria essa uma doença moderna da blogosfera recentemente diagnosticada? Eu sei que trolls existem e não é algo novo, mas alguns comentários perecem de alguma maneira atacar opinião divergente e não simplesmente acalorar uma discussão ou desviar dos assuntos como fazem os trolls. Comentários assim apresentam até um tipo de “padrão” ao simplesmente demonstrarem intolerância a opinião divergente. Será que são os filhos intelectuais do Bush e do Sarney? Eu já vi vários comentários desse tipo no blog do Cardoso, do Bruno Torres e do Tableless. Eu pensei antes de escrever este texto, pra saber se era um caso isolado, mas eu acredito que não. E ai? Como se relacionar virtualmente com pessoas que agem e pensam assim?

Há centenas de coisas sobre desenvolvimento que eu acredito ser a melhor saída, mas eu não deixaria de me relacionar com alguém caso essa pessoa pense diferente. Ataques desse tipo estão se tornando comum e “sujam” discussões inteligentes, mudando o foco, irritando blogueiros e leitores. Complexo de Rosângela foi o nome que eu dei pra uma pessoa sem identidade (nem sei se o e-mail dela é valido ou não) pra alguém que não existe e simplesmente quer atacar a sua opinião por ser diferente, e não por ter uma idéia melhor. Acho atitudes assim lamentáveis e essa é uma das razões de acreditar cada dia mais na moderação de comentários. Sinto muito pessoal.