Balanço de 2006: Diga-me o que blogas que te direi quem és!

Este ano foi muito muito bom por aqui. Estou cada dia mais satisfeito com o Revolução Etc, por todas as oportunidades que me trouxe, pelos novos amigos e novos objetivos. Os românticos que me desculpem a franqueza, mas a identidade de um site é algo difícil de construir desde o início por que isso é igual a personalidade: metade fruto dos seus próprios interesses e outra metade fruto do meio. E ainda sofrendo pequenas lapidações com o tempo. Comecei escrevendo exclusivamente sobre web standards e a vontade de escrever sobre outras coisas acabou me fazendo abrir certas exceções. Até agora eu já escrevi sobre web, serviços online, comportamento, monetização, gadgets, marketing, design, SEO, CSS, ROI, livros etc (ufa) e outras coisas mais. Mas o meio (os leitores) acabam demonstrando interesse em outras coisas que me servem de estímulos para seguir em frente, além do que eu havia proposto inicialmente.

Profissionalmente eu cresci mais ainda este ano. Tive a oportunidade de trabalhar novamente no redesign do Charges do Maurício Ricardo e no Webinsider do amigo Vicente Tardin, onde também escrevo eventualmente. Fui convidado pelo Tiago Baeta do iMasters para também publicar meus textos lá e também fui convidado pela Visie para escrever cursos de treinamento online sobre desenvolvimento para web. Tive o privilégio também de trabalhar no redesign do MeioBit, site este que é a prova do sucesso dos blogs no Brasil. Descobri também que fui indicado na lista de sugestão de blogs de tecnologia do Netvibes juntos com outros grandes blogs lá, o que me tirou um sorriso enorme quando eu vi! Além de várias outras coisas que estão entre as que me trouxeram muita satisfação este ano.

Este blog tem sido um grande modelo de negócios experimental em plena transformação pra mim. The Long Tail é a prova disso, porque pessoas se interessam mais por textos escritos por outras com mesmo interesse do que escrita por pessoas que só querem vender um produto. Fazemos parte de nichos onde um comentário sobre um produto no Submarino tem uma relevância maior e nos influencia mais do que a Sony ou a LG tem a dizer sobre elas mesmas. Seguindo esta receita a DreamHost e o Submarino (e o que mais vier pela frente) deram lucro. Deve-se notar também algo que você precisa saber sobre este modelo de negócios voltado para blogueiros, que se você é falso ou não sabe do que está escrevendo, os leitores não aparecem. A questão não é nem que eles vão embora, é que eles nem aparecem mesmo. E com muito trabalho eu consegui quadruplicar (ou mais do que isso) a quantidade de visitantes nos últimos 7 meses.

Assim tentar monetizar o site baseado no tráfego que eu consegui gerar me pareceu uma ótima idéia. E realmente foi. Passam por aqui durante a semana uma média de 1700 pessoas por dia (ips únicos) aparentemente buscando conteúdo específico. Aprendi que feeds não é a maior fonte de visitantes diários e ao contrário do que muitos pensam, o Google acaba trazendo mais visitantes que se tornam fiéis tanto quanto outros sites relacionados com o seu. SEO se tornou a palavra preferida do meu jargão técnico. As consequências disso tudo é que, como eu não preciso dar detalhes de cifras, as circunstâncias só não me transformam em um ProBlogger hoje (vivendo exclusivamente do site) porque não tenho interesse em largar o meu trabalho, que inclusive justifica eu ter mais assunto para escrever aqui. Em resumo esta realidade não é só minha (acredite) e por mais que exista vários blogs silenciosos sobre o fato de obterem renda, este ano de 2006 no Brasil os blogs se consolidaram como modelo de negócios sério com uma capacidade econômica que só cresce. Não tem mais volta. Qualquer site que conseguiu obter mais de 1000 visitantes por dia (talvez até menos) consegue começar a obter uma renda considerável se souberem explorar o próprio tráfego sabiamente.

Em partes eu vejo isso como a revolta dos nerds. A Blogosfera é feita de pessoas curiosas, interessantes com suas próprias manias e opiniões. Hoje eu confio muito mais na opinião de um blog feito por um fã de Jazz do que em um review publicado em uma Veja ou Isto É. Confio muito mais nos blogs sobre tecnologia para falarem sobre gadgets do que na Info. Todos tem seu espaço e agora os blogueiros tem o seu. E é um espaço gigantesco. E são de pessoas assim que estão construindo aos poucos um novo tipo de economia baseada em nichos de interesse.

Neste próximo ano pretendo continuar escrevendo sobre web e desenvolvimento ao mesmo tempo em que vou diversificar mais e mais meu repertório! Livros, DVD’s, galerias de design, CD’s, tecnologia, séries e o que mais me der na telha e fizer minha cabeça! Sempre mantendo os textos sobre desenvolvimento que estou acostumado a escrever. Blogs especializados são muito bons, mas ultimamente tenho me interessado mais por blogs mais variados, mais pessoais (não confunda com os diários das fofuchas, miuchas, pituxitas, etc pelo amor de Deus). Acho que é a idade que está avançando. Desculpas àqueles que não me acompanham, mas blogs são reflexos de seus autores, são alter egos em formato de posts. E como eu tenho meu próprio blog o melhor que eu posso fazer é tirar proveito da situação certo?

Agradeço muito todos vocês que aparecem por aqui regularmente, que compram livros, assinam hosting e adquirem cursos e até mesmo aqueles que não fazem nenhuma das outras três coisas e sempre estão aqui dando força e acompanhando meus textos. Desejo que 2007 seja um ano de muito sucesso e satisfação à todos. Valeu, muito obrigado e grande abraço!