A era dos selinhos de validação acabou

Até um ano atrás eu me divertia colocando selinhos de “validado” do validador da W3C em qualquer projeto que eu pudesse fazer. Há 6 meses atrás eu deixei de fazer isso. Há 3 anos um site 100% compliant com os padrões era relativamente raro aqui no Brasil. Site com selinho de validação era site de geek, era pra poucos. Pra eu utilizá-los hoje não faz mais sentido. O tempo deles já era.

Um dos objetivos da origem destes selos era tornar as pessoas que o desconheciam, curiosas em relação aquilo. Era uma forma de divulgar os padrões web demonstrando que seu trabalho foi desenvolvido de acordo com os web standards. Era uma forma de evangelismo. Ele trazia também certo status, não podemos negar. Hoje padrões web não é mais diferencial. Entre os bons profissionais, conhecer semântica de HTML e saber bem CSS é o mínimo.

Depois que eu vi dezenas de blogs de caras que eu tinha certeza que nem sabiam o que era semântica, com seus sites validados (sim, realmente validados), eu parei de usar. Porque pelo menos eles já estavam no caminho certo, apesar das gafes. É comum no início nos empolgarmos com algumas coisas e cometer erros crassos em outras. Padrões web agora é commodity. A evangelização acabou? Não completamente, mas eu não tenho mais interesse em utilizar os selinhos de validação. Até mesmo porque validação só diz que seu site não possui erros de sintaxe, e não que ele seja 100% compliant. Como milhões de vezes já falado, eu posso ter um site 100% validado pelo validador da W3C e sem nenhuma tag utilizada corretamente.

Acredito que uma forma bem eficiente de evangelismo dos padrões web hoje seja SEO. Prática e não demagógica. A era dos selinhos acabou pra mim. Quer continuar utilizando? Fique á vontade. Eu os vejo mais como um souvenir retrô e nostálgico do que com algum propósito.