Apple processa parceiro por revender mais de 100.000 produtos que foi contratado para desmontar

ANÚNCIO

A Apple está processando o antigo parceiro de reciclagem GEEP Canadá – agora parte da Quantum Lifecycle Partners – por supostamente roubar e revender pelo menos 103.845 iPhones, iPads e Apple Watches que foi contratada para desmontar. 

Apple processa parceiro por revender mais de 100.000 produtos que foi contratado para desmontar
Foto: (reprodução/internet)

“Pelo menos 5336 kg de dispositivos Apple foram retirados das instalações do GEEP sem serem destruídos – um fato que o próprio GEEP confirmou”, lê uma parte da queixa da Apple, conforme relatado pela The Logic (via AppleInsider).

ANÚNCIO

A Apple enviou à empresa de reciclagem mais de 500.000 iPhones, iPads e Apple Watches entre janeiro de 2015 e dezembro de 2017, de acordo com o relatório da The Logic.

 Quando a Apple fez uma auditoria, descobriu que 18% desses dispositivos ainda estavam acessando a internet através de redes celulares. 

Esses 18% não contam os dispositivos Apple sem um aparelho de rádio celular, portanto é possível que uma porcentagem ainda maior dos aparelhos tenha sido revendida.

ANÚNCIO

A Apple procura obter pelo menos 31 milhões de dólares canadenses (cerca de 22,7 milhões de dólares) de seu antigo parceiro. 

A empresa de reciclagem nega qualquer ato ilícito, mas não nega que houve um roubo – alegadamente apresentou uma ação de terceiros alegando que três funcionários roubaram os aparelhos em seu próprio nome. 

A Apple discorda, argumentando que esses funcionários eram de fato a gerência da empresa de reciclagem, de acordo com a The Logic.

No ano passado, os humanos deixaram para trás uma quantidade recorde de lixo eletrônico somando 53,6 milhões de toneladas de telefones, computadores, aparelhos e outros descartados. 

As ações sustentáveis na tecnologia

Como outras empresas de tecnologia, a Apple tem tentado melhorar suas práticas ambientais, incluindo um esforço para mover a reciclagem internamente com seus próprios robôs de desmontagem, que são projetados para recuperar componentes do iPhone que os recicladores tradicionais não conseguem.

Entretanto, a empresa ainda conta com outros parceiros para recuperar material valioso de dispositivos usados, e de 2015 a 2018 a GEEP Canada foi um deles. 

A renovação e revenda de dispositivos também fazia parte dos negócios da GEEP, porém: enquanto a empresa ofereceu múltiplos serviços de gerenciamento de resíduos eletrônicos durante esse período, também declarou explicitamente em seu website que sua missão era “incentivar a reutilização sempre que possível”.

Leia também: Google anunciou uma das maiores iniciativas verdes da tecnologia até agora

Mas, do ponto de vista da Apple, revender esses dispositivos não teria sido bom. Só porque os produtos puderam ser revendidos no mercado cinzento, não significa que eles atendessem aos padrões de qualidade ou segurança da Apple.

 “Os produtos enviados para reciclagem não são mais adequados para vender aos consumidores e se forem reconstruídos com peças falsificadas podem causar sérios problemas de segurança, incluindo defeitos elétricos ou de bateria”, diz a empresa ao The Verge.

A Apple apresentou a queixa em janeiro de 2020, mas tem conhecimento dos roubos desde que foram descobertos entre 2017 e 2018. A Apple não trabalha com o GEEP Canadá desde então.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fontes: The Verge, The Logic, Apple Insider

 

ANÚNCIO