Em meio a pressão, Amazon revela quase 20.000 funcionários com COVID-19

ANÚNCIO

A maior empresa e mercado de comércio eletrônico do mundo, Amazon.com, LLC, está agora enfrentando o calor e a controvérsia de grupos trabalhistas, reguladores e políticos depois de pressionar a empresa para revelar o número total de casos de COVID-19 dentro da empresa. 

Em meio a pressão, Amazon revela quase 20.000 funcionários com COVID-19
Foto: (reprodução/internet)

A Amazon teve casos em massa relacionados à COVID-19 durante os últimos meses, que a empresa manteve em segredo, apesar da crescente ameaça à saúde.

ANÚNCIO

A Amazon, LLC, revelou recentemente 19, 816 casos positivos e suspeitos da COVID-19 entre março e setembro. A Amazon disse que isto foi bastante inesperado devido a sua estimativa e expectativa de ter um número maior, devido ao tamanho da força de trabalho da empresa.

De acordo com o blog da empresa, Amazon e Whole Foods Market, o tamanho dos funcionários da linha de frente era de 1,3 milhões em todos os Estados Unidos. 

O grupo de pesquisadores e estatísticos compilou estudos da Universidade Johns Hopkins, considerando a composição etária e a localização geográfica de cada funcionário, e estimando ter 33.952 casos entre seus funcionários.

ANÚNCIO

Leia também: Donald Trump e sua esposa testam positivo para COVID-19 e entram em quarentena

No entanto, a Amazon afirmou que foi inferior em 42% aos casos previstos. 

A Amazon também deu ao público uma versão, estado a estado da tabela que apresenta dados positivos da COVID-19 entre seus funcionários. A empresa de comércio eletrônico atribui inteiramente seu sucesso às medidas preventivas que aplicou dentro da empresa.

A Amazon afirma que seu esforço para conter o Novo Coronavírus entre sua força de trabalho é, por si só, um passo gigantesco para proteger seus colaboradores. A empresa também vê que os casos assintomáticos retêm a transmissão e pegam o vírus, protegendo ainda mais os funcionários.

O segredo da Amazon: a pressão e a urgência do grupo trabalhista revelam casos

Segundo a CNBC, a Amazon foi continuamente pressionada e solicitada por grupos trabalhistas, reguladores e políticos a revelar seus casos de COVID-19.

 Meses depois de incessantes pressões, os dados da Amazon mostraram que ela tem apenas 1,44% de casos positivos de toda a força de trabalho da empresa.

Vários dos grupos estavam preocupados com o crescente risco e ameaça do vírus SARS-CoV 2 entre os trabalhadores das fábricas que se acreditava serem os menos cuidados do que outros empregados.

Nos últimos meses, os trabalhadores da empresa de comércio eletrônico compilaram os dados em um banco de dados público para revelar os casos encontrados dentro de seus funcionários do armazém.

Leia mais: China proíbe produtos da Indonésia após teste de embalagem positivo para COVID-19

Sabe-se que a Amazon rejeita a ideia de revelar seus casos positivos, dizendo que isso levará à confusão e ao medo do público, também faltando no contexto.

Entretanto, em seu post na última quinta-feira (01), a Amazon diz que dados ajudariam a transparência da empresa e promoveriam as “melhores práticas” no tratamento de casos.

A Amazon diz ainda que a contribuição ou publicação de dados similares entre empresas, ou agências mostraria e promoveria um tratamento impressionante contra a COVID-19.

Como a Amazon lidou com a COVID-19?

A Amazon se orgulha de uma instalação e laboratório de classe mundial para testar e tratar os casos da COVID-19 dentro da empresa. 

Se não fosse pela ação e intervenção precoce da Amazon, ela teria sofrido mais casos e fatalidades dentro de sua organização.

A Amazon disse que havia utilizado seus engenheiros, pesquisadores e gerentes de programas para mudar seus “empregos diários” para se concentrar na iniciativa contra o coronavírus. 

De acordo com a Amazon, o objetivo é fazer 50.000 testes por dia em seus 650 locais incluindo lojas e fábricas, a partir de novembro.

A Amazon tem lutado contra o COVID-19 desde seus primeiros dias em março, com extensos processos de desinfecção e a exigência de equipamentos de proteção, como a máscara facial. 

A empresa de comércio eletrônico também se orgulha de seus bônus para seus funcionários, especialmente aqueles que arriscaram suas vidas para entregar os produtos da Amazon.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fontes: Tech Times, CNBC, Amazon

ANÚNCIO