Amazon aposta no Prime Day na América Latina para combater os concorrentes

ANÚNCIO

As vendas totais da Amazon.com Inc dispararam durante a pandemia do coronavírus, mas na América Latina, o maior varejista online do mundo está travando contra concorrentes enquanto lança seu evento Prime Day no México e, pela primeira vez, no Brasil.

Amazon aposta no Prime Day na América Latina para combater os concorrentes
Foto: (reprodução/internet)

Durante o evento anual de compras de terça e quarta-feira que abrange 19 países, a empresa mostrará novamente os descontos e o frete gratuito que vem junto com uma assinatura paga do Prime – uma estratégia que tem ajudado a Amazon a se envolver em compradores repetidos ao redor do mundo.

ANÚNCIO

Mesmo assim, os analistas dizem que a Amazon enfrenta uma batalha difícil nas duas principais economias da América Latina, onde o sucesso ou o fracasso vai decidir se a empresa pode enfrentar o resto da região.

“A Amazon na América Latina não é tão grande quanto dos Estados Unidos”, disse Marcos Pueyrredon, presidente do Instituto de eComércio com sede em Buenos Aires.

A Amazon não divulga dados de vendas específicos de cada país, mas as estatísticas de tráfego do site sugerem que a Amazon está lutando para acompanhar o MercadoLibre da Argentina.

ANÚNCIO

No México, onde a Amazon lançou seu mercado em 2015, ela ficou em segundo lugar atrás do MercadoLibre para a maioria dos visitantes únicos em agosto, de acordo com a empresa de análise de mídia ComScore.

No Brasil, um mercado mais fragmentado ao qual a Amazon aderiu em 2017, ficou em quinto lugar depois do MercadoLibre e das potências locais de comércio eletrônico como B2W, Via Varejo e Magazine Luiza.

A aposta da Amazon na América Latina

Gloria Canales, chefe de marketing da Amazon no México, disse que a empresa está satisfeita com o crescimento, e vai continuar investindo.

“Nós nos esforçamos todos os dias para adicionar seleção, para melhorar as taxas, para melhorar nossos métodos de pagamento. Estamos confiantes que é isso que nos torna bem-sucedidos”.

Não é como a Amazon, que em julho, que apresentou o maior lucro em seus 26 anos de história, não pode se dar ao luxo de jogar esse jogo.

Amazon no Brasil

No Brasil, onde Prime custa 9,90 reais (US$ 1,79) por mês ou 89 reais (US$ 16,09) por ano, a Amazon começou a oferecer adesões há apenas um ano. 

Desde então, tem visto o crescimento mais rápido de assinaturas de qualquer mercado Prime, com membros agora em 95% dos estados, disse a Amazon em um comunicado.

No entanto, a Prime por si só pode não ser suficiente para aumentar a fortuna da Amazon, disse Gene Munster, sócio-gerente da Loup Ventures, apontando o inventário e a distribuição como duas áreas-chave onde a Amazon precisa melhorar.

Leia também: Nuvemshop, a startup latino-americana concorrente da Amazon

“Sem dúvida está crescendo”, disse ele sobre o programa Prime. “Mas não se trata de crescer, trata-se de tentar manter o ritmo do MercadoLibre”.

Isso pode ser um desafio, apesar do fato de que o concorrente local não tem um programa de benefícios para os membros no mesmo nível do Prime.

Traduzido e adaptado por equipe Revolução.etc.br

Fonte: Reuters

ANÚNCIO