James Joyce

Qual o papel dos web standards na arquitetura da informação?

Em meados da década de 90 o “web designer” era um sujeito indefinido com muitos predicados. Era programador, era redator, elaborava a navegação, configurava um servidor, escrevia o HTML, tratava as imagens e executava tudo isso sozinho. A web era relativamente nova e os profissionais que se destacavam eram aqueles que entendiam de todo o processo até o fim. As coisas não estavam tão definidas quanto hoje e o futuro era um pouco incerto. Hoje não temos mais este cenário.

Continue Lendo »


Blog day, Bloomsday, Festivus, World Jump Day, memes, Flash Mob e outras formas de validarmos nossa existência na web

Este é um assunto que desde que li meus primeiros trechos de Heidegger na pré-adolescência eu nunca mais deixei de pensar. Por um bom tempo na vida tentamos encontrar certas razões que sejam realmente concretas ao nosso próprio método e quanto mais velho você fica, mais você se contenta que certas coisas não devem possuiu um significado tão concreto assim. Na verdade algumas coisas nem precisam de significado algum. No bom e velho jeito sartriano você simplesmente escolhe um significado e "vive".

Continue Lendo »