Os “Segredos” Públicos do Google Revelados.

Estava pensando em um título para o artigo e este me pareceu ser o mais apropriado. Estava relendo algumas revistas velhas e encontrei uma edição especial da Revista Veja de dezembro de 2000 nas minhas coisas que trouxe uma entrevista com Umberto Eco, o famoso escritor e teórico da semiótica e autor livro “Em Nome da Rosa”. A revista trazia a seguinte chamada para a entrevista: “…a mesma internet que dá acesso ao melhor do conhecimento humano também entope as pessoas com tanto lixo cultural que, no final, tudo pode acabar em puro silêncio.” Sua grande pergunta era: “Como podemos garantir que um jovem iniciante consiga distinguir entre a informação verdadeira e a falsa?”.

Para se ter uma idéia, a quantidade de informação que uma edição da Folha de São Paulo tem por dia, é o equivalente ao conhecimento que uma pessoa comum na Idade Média, conseguia adquirir durante toda a sua vida. A internet é milhões e milhões de vezes maior do que uma edição da Folha. Agora descentralize este conhecimento e o coloque na mão de milhares de garotos e jovens espalhados pelo mundo. O resultado que se pode obter é uma verdadeira anarquia. Sendo sincero, esta é a realidade daquilo que está na internet hoje. Como garantir que o que você encontrou, é a informação correta? Por milênios, aqueles que detinham o poder da escrita, detinham o conhecimento humano, e à medida que este conhecimento deixa de ser elitista e de estar somente nas mãos daqueles que realmente o dominaram por séculos (por razões quase que hereditárias), estaremos sujeitos a todos os tipos de “fraudes”. Pra mim isto vai além de mera opinião, isto é fato social. A humanidade sempre estará sujeito a divisão por castas. De “1984” (George Orwell) a “Admirável Mundo Novo” (Aldous Huxley) à parte, a divisão social na humanidade sempre esteve e sempre estará presente e intimamente relacionada com o poder e com o conhecimento. E quando o conhecimento humano cai nas mãos erradas, como o das grandes massas, quão desastrosos podem ser os resultados. Um escritor inglês chamado C.S. Lewis disse certa vez, que não há ninguém mais arrogante do que um escravo recém liberto. O conhecimento sobre aquilo que pretendemos nos ocupar, não vem com a liberdade da noite para o dia, com um macete de um blog, ela é construída arduamente e geralmente envolve muito mais do que uma disciplina. E a arrogância seguida do recém liberto é o pedantismo e um sentimento de querer mostrar que está acostumado com a liberdade; uma fácil auto-denuncia. A melhor solução ainda é a educação.

A boa educação é o que permite com que a informação fragmentada encontrada nos blogs passe a ser monolítica, como parte de um todo, que envolve muito mais do que CSS, HTML e javascript. Você pode estar muito perto do conhecimento correto e errar por falta dele. É preciso de guias e de muito, muito conhecimento para desbravar na rede mundial de computadores e saber reconhecer o que é conhecimento real e o que é estática. Mas você deve estar se perguntando o que isto está relacionado com o Google? Eu respondo: tudo! O Google é quase o Big Brother de George Orwell na internet hoje. Ele “tudo sabe e tudo vê”. “Se não está no Google é por que não existe”, dizem por aí. Ao contrário do personagem tirano de Wells, o Google é bonzinho e através dele, você pode encontrar os tesouros mais preciosos do conhecimento ou errar por tão pouco e acabar encontrando lixo. Na verdade é mais fácil encontrar lixo do que “conhecimento”. O Google fornece uma ótima documentação sobre como os sites são indexados e quais as melhores maneiras de desenvolver para web para ter seu site encontrado, indexado e classificado. E tudo isto em português. Leio em vários lugares pessoas perdidas e preocupadas sobre como tornarem seus sites mais “visíveis”, como agradar os mecanismos de buscas etc. Encontramos também muitos artigos fragmentados que dizem 5% do que poderiam, mas nada relevante, mas uma coisa é certa: todo mundo usa o Google diariamente. Se você clicar em “tudo sobre o Google”, depois em “Informações do Google para Webmasters“, depois em “diretrizes”, você vai encontrar uma ótima documentação, em linguagem simples e acessível de como funciona o mecanismo de indexação mais cobiçado do mundo. Isso era um segredo? Que nada, é publico! E está lá para responder dezenas de perguntas que muitos desenvolvedores (alguns até experientes) fazem. Se você sempre quis uma resposta para esta pergunta e nunca leu esta documentação do Google, errou por muito pouco.

Não quis defender com este texto, a elitização do conhecimento, do contrário eu não me interessaria em escrever para este site. Quis mostrar simplesmente um fato social, da sociologia mesmo. O simples fato de você poder ler este texto significa que você faz parte de uma pequena parcela de brasileiros que tem acesso à internet. E este acesso não é democrático, é elitista. A democracia não vai existir enquanto existirem pessoas em uma sociedade que se preocupam com sobrevivência ao invés de lazer. Curiosos não? A dica do Umberto Eco é interessante; geralmente comunidades tradicionais, por possuir grande índice de page-views e ter um público mais variado são mais confiáveis. Isso por que é um meio de comunicação que está mais sujeito a avaliação de um público maior. E se alguém lhe disser que tem um segredo muito valioso, não se preocupe, no Google você encontra!

  • http://marcogomes.com Marco Gomes

    Muito interessante o texto cara mas esse negócio de bater tanto na tecla "Google é o máximo" me deixa encabulado… O Yahoo!!, AltaVista e outros mecanismos de busca são bons também.

    E eu acho que houve um pequeno erro na citação ao criador do BigBrother, ele é de George Orwell e não de Orson Wells (mas eu posso não ter entendido uma possível dupla citação já que não conheço Orson Wells).

  • Ricardo

    Acredito que o autor usou o Google pela sua popularidade e pioneirismo empresarial (está sempre lançando novidades, os outros, patinando atrás). Se fosse em outra época certamente usaria o Y! Altavista, etc.

    Conhecimento acumulado gera poder, que, se bem aproveitado, gera conhecimento, que gera poder, etc.

    A verdade está com aqueles que detêm o poder de uma época. E o povo é treinado a obedecer essa verdade. No nosso tempo, essa verdade (do conhecimento, consequentemente poder) está passando às mãos dos que entendem a rede e têm visão de mercado para lucrar com isso. Mas, às vezes, esse poder cai. E outro oportunista surge.

    Além do mais, dizia Einsten: verdade é o que suporta o teste da experiência.

    Eu diria que na Web 2.0, exemplo o Wikipedia: verdade é o consenso da maioria. Burra ou não. Como é a democracia.

  • Cleiton Francisco

    A respeito do uso do Google como referencial é um reflexo da realidade atual da internet. Empresas experientes e clássicas que, no passado, fizeram fama lançando novidades e criando suas próprias ferramentas, hoje estão sempre um passo atrás da Gigante dos sistemas de busca, vejam o exemplo do próprio Y! e também da MS (live, books e Start).

    A respeito da citação, houve apenas um pequeno engano do autor ao citar Orson Wells, que, na verdade, foi cineasta e ator e ficou famoso por provocar pânico nas pessoas ao produzir, em 1938, uma transmissão de rádio intitulada "A Guerra dos Mundos".

  • Douglas [funnie]

    O texto é excelente, com muita informação para refletirmos.

    O Google realmente veio revolucionar a internet e o mundo.

    Os criadores do Google, Larry Page e Sergey Brin, sairam na capa da revista EXAME de novembro sob a machete: "Google Eles querem dominar o mundo".

    O Google com apenas sete anos de existência já tem seu valor na bolsa maior que a Coca-Cola, a GM ou a Oracle. Muito boa a reportagem, vale a pena comprar a revista.

    Parabéns ao autor! Grande abraço!

  • Pingback: Lucrando na Rede » Blog Archive » Os segredos públicos do Google()

  • http://efeworld.blogspot.com Anônimo

    O serviços do Google funcionam por isso são por isso e por sua simplicidade, são populares…

    Mas tenho medo desse monopólio que vem começando.

  • http://www.internetnews.com/ Zachary Taylor

    I'm asking myself: How can it be that I've never ran through your site before? It's a great one! White is feature of Greedy Chips: http://www.theage.com.au/ , Good Slot is always Standard Stake when Gnome Hedge Corner Bet , Big Girl becomes Profound Slot in final Compute Double Rape – that is all that Plane is capable of

  • Jared

    I really liked your comments here. I hope you're going to update your site soon.

  • Andrei

    porra, e se eu contar que achei esse blog no google você acredita? hahhahaha.

  • http://www.flogao.com.br/betotobe *(((BETO)))*

    "" Mt legal cara parabens!!!!

    MsM um abraço fui…

    (((BETO)))

  • Patricia

    Eu achei essa página no google também…

  • Lonai Sam

    A engrenagem da vida funciona independente da nossa vontade e, quer queiramos ou não o veiculo não é o problema, e sim o que fazemos com ele, se as pessoas tivessem um caráter reto, não precisariamos nos preocupar tanto com os "Fakes", o autor do artigo fala de fato social, gostaria de registrar que as nossas ações são frutos da nossa formação, o google é uma boa ferramenta assim como o serrote e o martelo que tenho lá em casa, não fico me perguntando quem construiu o serrote e porque o construiu. Televisão, jornais, internet, google são canais de comunicação, isso não preocupa. O que preocupa é a intenção das pessoas ao usarem essas ferramentas.

  • http://www.google.com Tiago Aranha

    .

    Penso que este tipo de comentário encontra-se no grupo dos polêmicos e nada acrescenta à comunidade da Internet senão alguns Kbytes a mais na rede.

    A natureza é assim.

  • paim

    parabéns, o texto é muito bom.

    achei essa pagina no google tbmm!

    abraços!

  • Rafa

    Cara, você quase escreve bem. Só precisa aprender a usar vírgulas.