“Eu não imagino minha filha colocando uma roupa da Renner nem para dormir.”

Antes de mais nada leia essa notícia no Estadão e procure pela citação:

“Eu não imagino minha filha colocando uma roupa da Renner nem para dormir.”

Fico triste ao ver notícias como essa. Fico triste de ver gente tendo oportunidades de trabalho, de começar carreira em uma empresa legal e não sentar pra estudar nunca. Parece a geração que odeia estudar. E nem estou falando de educação formal, estou falando de “aprender”, conhecer, ter conhecimento. São pessoas cuja educação está centrada no comodismo. Pessoas que só compram, que desejam um “maior policiamento nas ruas” mas não se dão conta que violência e criminalidade são pura e simplesmente fruto de desigualdade social e pobreza. Não existe fim de criminalidade enquanto você mantém um grupo de pessoas comendo arroz puro e vivendo como párias. Seu bairro não vai ficar livre do crime enquanto a sua cidade se esforçar em manter os pobres na periferia, do lado de fora, pra você ficar limpinho do lado de dentro.

Você classe média que passeia de carro e tem grana pra comer bem e só está preocupado com sua aparência, suas roupas de marca — como se isso fizesse você ser alguém — e tudo o que você quer é não ser abordado por engraxates e pedintes e nem ser abordado por pobres andando no mesmo shopping que você, te falo que você (e eu) se fudeu. Essa atitude mantém o status quo da criminalidade e desigualdade social. Misturado a isso, nossas cidades estão se tornando parque de diversões para nós, classe média, onde ninguém mais quer estudar, ler, ser informado de alguma coisa, produzir coisas inteligentes, pensar em solução. Vejo um monte de cocotinhas bem arrumadas, cheirosas e profundamente burras, que acham que ler um livro da modinha as torna leitoras e inteligentes. Vejo um monte de jovem cabeça oca que podiam estudar nas melhores escolas, ir nos melhores museus, abrir suas cabeças, quebrar paradigmas, aprender a pensar diferente dos próprios pais, mas tudo o que querem são seus Nikes e acompanhar o BBB. Não tem consciência nem da própria condição social. Não entendem como chegaram ali e nem pra onde estão indo. O engraçado é que somos uma sociedade que não aprendeu a pensar em sociedade. Somos todos classicistas e queremos manter nossa posição. Vivemos em um mundo de publicidade e imagem, e todo mundo acha lindo. Acorda galera, vai estudar, virar gente e parar de perpetuar idiotices!

Sabe o que é mais engraçado nessa matéria? Se os filhos de alguma dessas mulheres da matéria no Estadão forem brutalmente assassinadas ou estupradas saindo da escola — cujas as filhas não vestem roupas da Renner — esses mesmos rostinhos que usam Channel e Prada, irão parar em camisetas e cartazes feitos para passeatas contra a violência, que é a única reação que classe média consegue “pensar” quando são atingidas pela pobreza marginalização. A mesma pobreza marginalização que se especializaram em ignorar o tempo todo. Passeatas burras, de gente burra. Enquanto todo mundo ficar calado e não chamar essas donas (Sandra Mussi, Renata Galvão, Carla Rocha e Sofia Menano) de idiotas em público e em voz alta, a camada não pensante da sociedade não terá a “oportunidade” pra se dar conta que essas pessoas são idiotizadas e burras. Pronto, agora você tem uma oportunidade de começar a não ser mais um idiota!

Comentários:

  • http://www.tiagocesar.com Tiago César Oliveira

    Minha esposa me mostrou essa matéria do Estadão ontem e eu fiquei profundamente chateado com o show de futilidade que vi ali. Basicamente o que elas versam é que o seu caráter pode ser medido pelo seu saldo bancário – bem como a sua classificação como "cidadão".

    Infelizmente, lamentável. E sim, elas são idiotizadas e burras. E creio ainda que essa postura delas seja claramente motivada por uma infância solitária, sem amigos e sem a presença dos pais – presença de verdade, quero dizer. A mesma presença que elas negam às filhas ao transformarem-nas em manequins acéfalos.

  • alelex88

    Cara, de um modo geral, seu post está ótimo e acerta na crítica à inacreditável alienação das dondocas da matéria.

    O único reparo que faço é no tropeço que você comete na frase:

    "(…) passeatas contra a violência, que é a única reação que classe média consegue “pensar” quando são atingidas pela pobreza."

    Aí você está culpabilizando a pobreza pela violência, o que é uma colocação infeliz e preconceituosa. Todo e qualquer cidadão pobre e honesto que leia a coisa dita dessa forma vai se sentir ofendido.

    Sugiro "quando são atingidas pelas consequências funestas da miséria material e moral", ou algo do gênero, que não explique a violência e o banditismo pela renda (há bandidos de altíssima renda, e exemplos da mais elevada dignidade entre mendigos).

  • http://melancoliquenoir.blogspot.com juliana

    Muito legal ver a matéria por esta perspectiva, mais do que pensar "estão desprezando as marcas que eu posso comprar", este tipo de comportamento reflete exatamente no que você falou.
    A menina de 12 anos aprende que o importante é viajar a Paris e comprar bolsas caras e não tentar se formar como cidadã, viver em sociedade e respeitar o meio ambiente.
    Gostei muito do que você escreveu, qdo li a matéria ontem, a primeira coisa que pensei que é direito delas gastarem o dinheiro aonde quiserem, mas cada vez caminhamos mais para desigualdades sociais e marginalização, como vc bem falou em seu texto e como reverter?
    Conhecimento, mas somos a geração "ctrl+ c ctrl+v", acomodados, alienados…BBB, é a geração do Ter e não do Ser.

  • deaballe

    Esse post estava nos shares do google reader do meu namorado, e eu fiz re-share dele, mas comentei algumas ressalvas. Como acho super importante manter um debate, resolvi postar aqui também. Tenho um ponto de discordância contigo, que talvez seja só da forma como você escreveu, mas de qualquer maneira, é bom cuidar essas questões sintáticas/semânticas.

    Ao meu ver, 90% do que você falou tá certo. Agora dizer que quando uma criança de classe média morre é ela ser "atingida pela pobreza" é ser tão classista quanto os caras que você critica no texto. Pobre não é igual a bandido. Pobre tem mais chance de ser bandido pelas condições? Sim, mas tem muito filhinho de papai bandido e muito pobre trabalhador.

    Sem contar que isso é virar a moral e defender o agressor. Matou, mas pobrezinho, é que ele não teve mãe. Explica, não justifica. Senão todo órfão era bandido. Esse tipo de pensamento é extremamente preconceituoso.

    No dia em que as pessoas pararem de procurar explicação pra abrandar tudo (seja pra não usar renner como pros motivos de estuprar uma menina na porta da escola) e começarem a se respeitar, as desigualdades vão cair muito. Não justifica nenhum dos lados.

    Dá nojo de ouvir uma mãe dizendo com orgulho que a filha sabe pronunciar Givenchy, como isso fizesse dela uma pessoa melhor. Assim como me incomoda justificar crimes com o ambiente. Não dá pra negar que viver na miséria levas as pessoas pro crime e que essas mesmas pessoas, criadas em condições dignas, teriam muito mais chances de não serem criminosos. Mas não dá pra ser injusto com quem vive nas mesmas condições, mas não mata nem estupra. É como se todos fossem bandidos em potencial. E pelamor, isso é muito longe da realidade. Tem que mudar o ambiente, sim, e urgentemente, mas esse tipo de argumento é muito perigoso pelas diversas questões que levanta – muitas vezes, dando margem a mais argumentos do tipo "temos que nos separar dos pobres, afinal, são todos bandidos", o que gera ainda mais segregação.

    Tá, já escrevi um texto enorme sobre algo que provavelmente não era a tua intenção de dizer, mas que acabou ficando confuso. Espero que pelo menos as palavras tenham sido produtivas.

    Abração.

  • Diego

    A notícia é bizarra mesmo. E por mais que cada um gaste seu dinheiro da maneira que bem entender, como pai de uma criança de quase 2 anos não sinto que posso educar minha filha da maneira que eu bem entender pelo dinheiro do sustento dela sair do meu bolso, eu tenho um compromisso com ela e não é o de dar o melhor que o meu dinheiro possa comprar, é de ver ela adulta tendo independência, além da financeira. Quem não compra em lojas populares não o faz por qualidade da roupa(bolas, existe padrão de qualidade pra pijamas?) ou pra não ter seu bebezinho achincalhado em uma escola de alto padrão de ENSINO FUNDAMENTAL porque usa algo diferente de todos que seguem o padrão?
    O conteúdo da matéria do Estadão me faz pensar que, estagnados, empobrecendo ou enriquecendo, continuamos agindo como gado. Ser Caracu ou Hereford ainda é ser apenas gado.

  • Marcos de Sousa Lima

    Valeu pelo post Henrique. Na verdade, quando vejo declarações como essa vejo uma bomba explodindo todo o dia. Coitadas dessas crianças, cheias de alegria em alegrar seus paupérrimos pais … Tenho a certeza que tudo que o que esses pais pode dar materialmente nem se mostra em atitudes de Amor – mas isso seria uma constatação. A bomba a explodir é essa falta de tato e inteligência, que acaba classificando roupas no lugar de pessoas. Ah, conheço pessoas bem de vida, muito generosas e prestativas – pobres e ricas. "Racionais Cap.4, versiculo 3" é a bomba explodindo, o conhecimento do desprezo de certos grupos e o efeito colateral são os excluidos de tudo (GRANA, AMIGOS, CARINHO) colocando o dedo na garganta e afetando a todos. Um desabafo – alguém ajude essas pobres pessoas abonadas.

  • Haroldo Miller

    Pena não ter lido esse texto assim que foi publicado. Ri muito e achei interessante a "inocência" impregnada nas respostas… Aposto como tanto Marx quanto Engels, onde quer que estejam, devem estar rindo de tudo isso enquanto pensam: nós avisamos… nós avisamos…

  • Eduardo

    Pois é, Henrique…
    É a ascenção dos "filhos do Lula". Sem querer criticar o próprio ex-presidente, evidentemente.
    Mas é a expressão que cunhei para classificar essa gente….

  • Jota Rodrigo

    Assino embaixo também !

  • Elaine Batista

    Interessante , mais um pouco bizarro.

  • http://twitter.com/northonnet @northonnet

    E o que me diz da quantidade de likes e retwitts que a matéria teve lá? O mais triste é isso, soa como um endosso.

  • http://www.culturaurbanalondrina.blogspot.com Alex

    Nossa desde pequenas ensinando a ser peruas, más é peurinhas…….Sem valores, ohhh meu Deus salva elas enquanto a tempo….

  • Hayslan

    Concordo com o @alelex88 quando ele diz que você tropeça ao culpar a classe pobre pela violência. No mais seu texto expressa fielmente a nossa indignação, quando no deparamos com tais situações neste país. Não só o Brasil, mas todo o mundo caminha cheio de deficiências sociais, econômicas, ambientais, etc., e essas crianças deveriam prosperar um futuro melhor ao invés de se preocuparem em ir para a Disney ou Paris… O que falta para elas, é um mergulho na realidade deplorável para qual a humanidade caminha, mas quando se tem o estilo de vida que elas levam esta realidade se torna distante.. até algum dia se tornarem vítimas da violência ou algo do tipo. E quando isso acontece, essas pessoas fazem tais passeatas ou outras manifestações para dizerem-se vítimas deste cenário, enquanto na verdade temos sido vítimas o tempo todo desta desigualdade social para a qual essas pessoas fecham os olhos. Eu queria ver como seria para essas mães, se um dia suas filhas não tivessem condições de usar nem as roupas da Renner.. Aí sim eu queria ver! Se algum dia eu me tornar alguem com bastante dinheiro, peço a Deus para que me guie e me ajude a educar meus filhos, sem que eles se tornem vislumbrados pelo dinheiro que os circundarão. É isso! Acorda Brasil!

  • Miramez

    Perfeito Henrique. Eu pensava que estava sozinho no mundo com meus pensamentos. Vejo que existem pessoas conscientes, sim. Apesar de ser triste, hoje, não me preocupo mais. Ao meu ver, e também o seu, tipo de gente como essa, são dignas de pena. O futuro deles é, como você mesmo disse: sequestrada, estuprada, viver eternamente as custas do papai, ser infeliz nas relações, pois homem de verdade não vai querer se relacionar com uma moça que desde criança é retardade e ignorante, e enquanto o mundo estiver trabalhando, elas estarão chorando enquanto escrevem nos seus diários todos os dias nos seus quartinhos pintados de rosa com lilas, cheio de ursinhos com óculos de grife. É a gerão ser humano robô; pessoas facilmente condicionadas pela indústria hight tech status. Desejo a elas, que comam cocô.

  • miramez

    me matei de rir agora. uhauhahhauhuahaua. porque vc foi sabio nessa resposta…

  • http://www.fabricci.com.br alfaiataria

    parece que a sociedade tem se tornado cada vez mais futil, e atribuído valores a coisas cada vez mais banais, gostaria muito que as pessoas pudessem ver alem da marca das roupas que usam.

  • Andre Meira

    O pior é que as peruas estão ensinando errado as filhas desde pequenas…

    Aí depois vem com discurso que gosta de ajudar os pobres…. Ajudar…. Ajudar que nada…. é tudo fruto do capitalismo desenfreado e doentio.

  • http://www.frasesdevida.com.br Frases de vida

    O pior é que as peruas estão ensinando errado as filhas desde pequenas…

    Aí depois vem com discurso que gosta de ajudar os pobres…. Ajudar…. Ajudar que nada…. é tudo fruto do capitalismo desenfreado e doentio.

  • http://www.victorassuncao.com.br Victor Assunção

    Cara mais pelo que percebi desse post é que ele não generalizou que toda a classe média é assim, no post ainda está assim: "para você que é classe média e..".
    E concordo com vc, um dos melhores posts que ja li em toda a internet!

  • http://www.victorassuncao.com.br Victor Assunção

    Henrique parabéns!!! Um dos melhores posts ja escrito no Revolução, se não o melhor!

    Acho que o maior erro da sociedade é o desprezo pelas pessoas. Por isso nunca vamos ser um país de primeiro mundo. Eu por exemplo adoro me vestir bem e como vc mesmo disse usar Nike porém quem não gosta de coisas boas não é mesmo? Quem não gosta de um mac? quem não gosta de um Iphone? quem não gosta de um carro bom? Mais se eu e vc tem a oportunidade de obter coisas boas, isso não nos da o direito de criticar e desprezar pessoas que usam roupas, equipamentos e etc… inferiores aos nossos!

    O povo brasileiro tem que acordar, pra ver que poder financeiro acaba e não ti da direito de ser melhor que ninguem, como vc mesmo disse tem muita patricinha e boyzinhos sustentados pelos pais lendo revista de fofoca, ja pensou quando eles "desmamarem" dos pais? São crianças ricas e que tem uma grande oportunidade de evolução (podendo ter as melhores escolas e tal) mais não aproveitam.
    Mais acho que os principais errados dessa história são os pais!

    Ta ai a evolução do Brasil!

  • http://dizainas.com.br Vitor

    Eu tenho pena dessas crianças. Perdendo a juventude para um capitalismo desgovernado onde o ter é mais importante que o ser, e sem culpa, pois não tem alguém que as faça mostrar realmente a essência da vida. As pessoas mais felizes são aquelas desprendidas de bens materiais.

  • @kadixs

    Eu penso que o problema maior nisso tudo é no que estamos transformando nossos filhos.
    Isto já vem de tempos de problema lá atrás, nos anos 80-90 matavam jovens por causa de um Nike. As coisas boas da vida não vem com etiquetas. Mas falando em etiquetas que rotulam pessoas sem personalidade, sim as coisas boas custam caro. E quem sabe o valor (no sentido de qualidade e não de somente de cifras) sabe mais ainda o quanto vale estudar.

    Estudar é pra si, serve pra si e para os outros. Eu diria que a moeda da vida são nossas escolhas. Pra cada um ela tem um peso, uma medida e evidentemente, consequências. Mas a escolha certa, é o caminho mais difícil. E optar por NÃO estudar, é uma ofensa existencial, é uma invalidação de SER e não apenas EXISTIR. Se tu não estuda, é problema seu, é problema da tua familia, filhos, bairro, cidade, país…é problema NOSSO.
    Com certeza estas meninas estudam e tem estudo de qualidade, com certeza o futuro delas está garantido, e ótimo pra elas que podem curtir o melhor da vida. O problema é a indução que matérias assim trazem para as massas de manobra, para a nova classe média-não-pensante, para os "felizes" da vida porque a vida deles ta muito boa, afinal tudo ta muito fácil hoje pra garotada moderna, atenada, iPodizada.

  • Daniele

    E começo com uma belíssima citação: "Eu sou muito simples, dirijo um Vectra"
    A humildade e a simplicidade marcada na alma das pessoas é tão comum hoje em dia encontrar brasileiros que dirigem um Vectra né?!! Agora serio, concordo com muitos comentários aqui expressos, concordo quando o @joanbernardes , diz que cada um gasta dinheiro como quer, principalmente quando esse dinheiro é ganho de forma licita, concordo também com os que discordam em alguns pontos, como quando falam da questão do preconceito, nem todo pobre é bandido, nem todas as pessoas de classe média são fúteis, mas agora parando para pensar como Sociedade, não somos nós os culpados pelo preconceito? Pelo comodismo? Pela Burrice? Pelo consumismo? Esse é realmente o mundo que queremos deixar pros nossos netos? A educação familiar é um retrato da sociedade que vivemos hoje, são atitudes como esta que me fazem refletir se nós somos realmente animais racionais.

  • Jassie

    Noossa acho que meu cérebro quase derreteu lendo essa matéria do Estadão, “Fashion Kids reúne ‘socialitezinhas’ “auehuaehuaheua essas crianças estão perdidas, literalmente. u.u”

  • Diogo

    Eu fico triste de um blog como este estar às moscas!

  • William

    Aff, não! Quando ele diz pobreza ele está sendo irônico. Mostrando como pensariam as dondocas da matéria.

    Mesmo se fosse da boca do autor, convenhamos que a pobreza é o berço da violência… sou pobre e posso afirmar.

  • http://felipedisse.blogspot.com felipe lima

    Eu acho que não só as pessoas mais ricas se preocupam em aparência, como também as mais pobres fazem de tudo para se igualar aos "bem de vida". Eu sei que o que eu disse está muito generalizado, mas essa mentalidade fútil está presente tanto nos ricos como nos pobres e isso não vai mudar tão cedo. Ao meu ver as pessoas são praticamente iguais a única coisa que às diferem é o poder aquisitivo, uns fazem e os outros tentam.

    Parabéns pelo blog, eu adorei!

  • melyssa

    essa matéria do Estadão é o raio x da burrice, da alienação, da idiotice comportamental, da ruína social brasileira. Heny, grande abço, parabéns.

  • ODAISA FERREIRA DE SOUSA

    Acho que vale a pena compartilhar novamente para uma reflexão:

    “Meu filho, você não merece nada” http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EM…
    revistaepoca.globo.com

    É imensa a alegria que um filho pode dar a seus pais, quando suas vitorias conquistadas, foram por seu talento e esforço…mas não se esquendo nunca dos valores que lhes foram passado.

    Gostei muito desse texto. A autora tocou num ponto caro aos pais da contemporaneidade que, em sua grande maioria, infelizmente fazem de tudo para que os filhos não vivam experiências de frustração.

    Consequentemente, é onde hoje há tantos jovens nas drogas, na depressão, por terem tudo pronto nas mãos….por todas as suas vontades atendidas(acredito que satisfazendo mais ao ego desses pais).

    Parabéns pelo blog!! Adorei!

  • neo

    bom dia ,sou estudante desempregado,e de baixa classe,não tenho muito a dizer, mas os nossos governantes tem muito que ouvir,pois o salario minimo e uma vergonha,e agente ainda tem que dar 41% em impostos ao longo do ano,nossa saude e um total discaso, e esse fator previdenciario deveria acabar.com esse pequeno trecho gostaria de chamar atenção e organizar a maior manifestação que esse pais ja viu,quero pedir ajuda para os sindicatos,e ate mesmo dos mais simples trabalhadores que reunam para uma nova reforma no pais. estou planejando para que aconteça antes alguns dias da copa.conto com com o povo.

  • http://www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/020730_bebemtc.shtml Sulista

    É sempre o mesmo blá blá blá politicamente correto (marxismo cultural).
    Essa desigualdade social e pobreza é culpa desse povo ruim que gosta de gastar todo o dinheiro que ganha com futebol, bebida, novelas, carnaval, TV.

    "…estupradas saindo da escola…"
    Fome ou nível acadêmico nunca poderá ser usado como desculpa para estupro.
    Um HUMANO que passa fome vivendo na pobreza nem desejo sexual tem. A África é o lugar com maior número de estupros do mundo.

    O fracasso do Brasil é culpa dos brasileiros.
    "O Brasil é o país do futuro, e sempre será".
    Colonia de banqueiros e sociedades secretas.

    SUL LIVRE! JÁ!

  • anna Housback

    sou rica e amada por Deus ! por isso tbm amo os pobres ! exelente materia ! eu uso calvin klain chanel mas não me mostro amoo pobres nao achoa violencia

  • larissa Marchiolli

    OLHA ! SOU RICA E NAO ME ENPORTO COM A CLASSE DOS OUTROS SÓ COM A MINHA TENHO MUITO DIM DIM PRA GASTAR COM A VIDA E NAO AJUDO NIMGUEM ! NASCI EM BERÇO DE OURO ! SOU CRIADA NA CLASSE RICA UE !

  • laylla hausfermer

    ei ! eu concordo com vc larissa marchiolli plenamente ! eu tbm sou classe milhonaria mas nao me emporto com os pobres !