A reação da reinvenção do HTML: Vamos fazer um pouco de pressão?

Fazer pressão foi o termo mais apropriado que encontrei para um texto recente escrito pelo Roger Johansson, Molly E. Holzschlag, Lachlan Hunt e revisado pelo Ian Hickson e também publicado no Web Standards Project (você que não lê em inglês pode ter acesso a uma tradução aqui) em reação ao texto do Tim Berners-Lee e que eu escrevi algo sobre isto aqui. Em resumo o texto convida todo mundo a dar voz sugerindo novas features ao desenvolvimento do HTML 5 já iniciado pelo WHATWG. Esta é a mais forte apologia já feita pelo Web Standards Project a uma padronização que não tenha surgido de dentro da W3C.

Os caras convidam você a assinar a lista de discussão do WHATWG ou então de alguma maneira escrever suas sugestões para o HTML 5 escrevendo no seu próprio site. Eles sugerem algumas questões como:

  • Há limitações com o HTML que gostaria de ver corrigidas?
  • Tem idéias sobre novas características / capacidades?
  • Há algo que possa fazer agora em HTML mas que gostaria de ver melhorado?
  • Tem alguma preocupação com o processo de desenvolvimento?
  • Tem algo a dizer sobre as novas características / capacidades nos atuais rascunhos?
  • Tem alguma pergunta a colocar sobre o HTML 5?

Toda esta história surgiu com as recentes críticas feitas em relação aos rumos da W3C iniciadas pelo Zeldman. Mais uma vez esse cara começou algo grande que pode dar uma nova roupagem para a W3C no futuro. Nos últimos tempos a W3C tem investindo muito mais em solução não voltadas ao mundo real (como a Molly mesmo disse) do que colaborado com o avanço de tecnologias interoperáveis o suficiente para serem utilizadas hoje, como Microformats por exemplo. Tim Berners-Lee escreveu um texto e em um trecho se refere ao WHATWG como “não tendo um processo ou responsabilidade final específica que mensure a si mesmo” (Trecho original: did not have a process or specific accountability measures itself). Reação? Leia o texto “Have Your Say about the Future of HTML” para ver.

Como eu escrevi anteriormente, eu achei Berners-Lee um pouco precipitado. Agora grandes nomes como Molly, Johansson e Lachlan Hunt estão convidando todos para dar continuidade no desenvolvimento do HTML, mas não os do Working Groups da W3C e sim o projeto iniciado por Ian Hickson, ex-W3C. Eu acredito que eles não estão se opondo a W3C em si, até mesmo porque a Molly é membro e uma grande defensora da instituição, mas esta iniciativa pode provar a teoria de que sugestões e iniciativas privadas em conjunto com os esforços de membros e não membros da W3C, as coisas podem sim andar e novos padrões podem surgir.

Só o tempo vai mostrar o quão longe esta pressão recente pode ir. O fato de solicitarem a colaboração do mundo inteiro em enviar sugestões não vai desvirtuar o processo mas servirá de brainstorming com certeza.

  • Luis Ribeiro

    Eu acho que em matéria de tecnologia (linguagens e etc), sempre que se fala em evolução vem junto complicação.

    Por exemplo:

    Com ASP vc fazia um site X, aí com o ASP.NET(evolução) para fazer o mesmo site X era mais complicado. Com o ASP.NET 2.0 ficou mais complicado ainda fazer o mesmo site X.

    Dei o exemplo de ASP, mas com as demais linguegens e tecnologias é a mesma coisa.

    Espero que o HTML não siga por este caminho, esta seria a minha sugestão.

    ——————————

    Parabéns, seu site é muito bom.

  • http://www.thalisvalle.com Thalis Valle

    Será que o HTML5 trará grandes mudanças? mas, mudança não signfica benefício. Então, me pergunto: será que o HTML5 tratá grandes benefícios?

    Abraços

  • Bruno Azisaka Maciel

    Poderiam existir tags especificas para definição de rodapé, por exemplo. Acho que não existe uma tag , nem uma tag , e creio que seriam muito utilizadas, ja que todo site que vejo, desde que comecei a navegar, tem sempre a mesma forma (Cabeçalho, Corpo, Rodape). Por que nao criar tags para isso?

    E o CSS 3? Em que pé está?

  • http://www.zhp.com.br Henrique Pimentel

    Bom eu li os drafts do CSS 3 e para mim resolveria tudo que o HTML não resolve e mais, separaria o layout do conteúdo.

    Acredito que ainda existam algumas tags para serem implementadas, para resolver as questões de semântica, porem, não acredito em uma grande reformulação.

    Eu gosto da estrutura do html e no jeito simplista de funcionar. É um texto marcado e nada mais, mas, precisamos de novas marcações e aprimorar algumas delas.

    No caso especifico de layout, como disse anteriormente, o CSS 3 vai nos salvar de quase todos os males e sujeiras de código que atualmente somos obrigados a colocar somente por causa do layout, e eu não estou falando de layout em tabelas, digo layout CSS mesmo, quantas vezes não temos que colocar uma div a mais, ou fazer um ajuste mais complexo porque o layout pede isso, o layout que deveria se adequar as limitações da linguagem ou a linguagem que deveria oferecer mais opções? eu voto na segunda opção.

    A respeito do comentário do colega Luis Ribeiro, eu discordo completamente.

    Eu venho dessa evolução, programei muito em ASP 3 e agora em .Net e o que eu reparei é que a linguagem ficou muito mais simples, a sintaxe mudou um pouco, algumas gambiarras foram retiradas, mas em vias gerais tudo ficou muito mais simples.

    Eu vejo isso quando comparo projetos de medio e grande porte, em ASP 3 alem de desorganizado o site ficava extremamente lento. Em .Net a programação orientada a objetos melhorou muito e nesse ponto facilita muito vc trabalhar com os objetos, módulos, procedures e etc.

    Conversando com outros programadores a opinião é unânime, com as diversas inserções de webcontrols novos e fáceis de usar, recursos da linguagem e de uma documentação próxima a perfeição, todos eles concordaram plenamente que a linguagem ficou muito mais facil e poderosa. Talvez o caso é que você não tenha explorado ainda os recursos mais novos, e dai, surgiram algumas dificuldades.

    Sinto isso sempre quando apresento os layouts tableless para pessoas acostumadas a fazer layouts direto no Photoshop e Dreamweaver, elas acham muito mais difícil esse modo de programar, e isso se deve principalmente pq ela tem que reaprender algumas coisas e abandonar alguns conceitos antigos, evoluir junto com a metodologia e isso algumas pessoas acham terrivelmente difícil.

    Quanto a iniciativa de abrir os drafts para contribuição mundial, eu sou totalmente favorável, sempre muitas cabeças pensam melhor que poucas e nesse ponto talvez seja hora da W3C repensar melhor sobre quem são os grupos de trabalho e como todos os envolvidos na utilização das linguagens poderia contribuir para o desenvolvimento dos novos recursos.

  • irma fritche

    achei muito interesante comtinue asi e voces vão muito longe

    voces tiveron muita criatibidade´´parabens´´

  • http://www.fechine.com João Paulo Fe

    Eu acho que o pessoal esta sendo um pouco radical.. A W3C, apesar de vovó so pegou realmente embalo estes últimos 5 anos.

    Em 5 anos, toda a vira-volta no mundo da Web, webstandards,xhtml etc.. foi praticamente tudo iniciativa deles – devemos dar um créddito não?

    5 anos é pouco tempo para tamanha mudança não?

    Eu acho que o empenho da W3C esta visivel e alguns críticos, sempre, querem colocar terra na situação.

    Obviamente que a Molly, por exemplo, não tem esse intuito, mas, eu acho que devemos dar crédito e ajudar a orgãos que tem por finalidade organizar nossa profissao.

    O html surgio com a idéia de ser muito pequeno, e não há coisa mais difícil que arrumar alguma "coisa" quando o projeto já vem errado desde o início.

    Méritos para um, críticas para outros.. eu acho que tem gente querendo aparecer mais que mostrar serviços nas costas da w3c.

    :)

  • http://www.fechine.com João Paulo Fe

    Só mais uma coisa..

    Como já diria eu mesmo..

    "Falar mau é fácil.. dificil pe elogiar"

  • Pingback: HTML 5 - O que deixa de existir. - Code Lab